Madson Moura (Camisa Polo Vermelha) posa com os oito finalistas do BSOP Millions – Photo by PokerNews/Divulgação

O poker brasileiro é gigante:com mais de 10 milhões de entusiastas espalhados pelo Brasil, o esporte das cartas mais famoso do mundo conquistou o país e a ascensão do poker nacional compreende de disputadas competições regionais a gigantescas e emocionantes séries de eventos nacionais.

Crescimento na região Norte

A região Norte do país é uma das mais fortes quando se fala em competições regionais dessa modalidade das cartas. Desde 2015 o North Poker Tour (NPT) agita as principais cidades da região com grandes eventos que reúnem centenas de atletas em busca da vitória.

No ano de 2019, o NPT contou com 5 etapas ao todo, distribuídas ao longo do ano em locais como Belém, Porto Velho e Manaus, com a grande final tendo ocorrido no prestigiado Vegas Poker Club.

Localizado na Rua Boaventura da Silva, 414 – Próximo à Doca, em Belém – o Vegas é um dos clubes mais tradicionais da região e durante a etapa final da competição distribuiu premiações impressionantes que superaram os R$ 80 mil.

Ainda na região, o Tocantins é conhecido pelos seus grandes campeonatos esportivos e no poker não é diferente, com o Campeonato Tocantinense de Poker (CTP) há anos atraindo diversos competidores para os seus eventos.

Em 2019 o CTP realizou oito etapas pelas principais cidades do Estado e diversas delas distribuíram prêmios acima de R$ 10 mil. O famoso Troia Sport Club, localizado em Palmas na 704 Sul, Avenida LO 15, Lote 15, foi a principal sede da competição e recebeu dezenas de jogadores em todas as etapas realizadas.

Madson Moura foi o grande campeão do BSOP Millions em 2019 – Photo by PokerNews/Divulgação

Crescimento do poker no país

As competições regionais contam com um tamanho respeitável e podem atrair centenas de competidores, mas os números não se comparam com a quantidade de atletas que são reunidos em cada uma das sete etapas do Brazilian Series of Poker (BSOP).

Competição nacional de prestígio e distribuição de prêmios equivalente a série A do futebol, o BSOP já conta com mais de uma década de história e não apenas é amplamente conhecido como a maior série de eventos da América Latina, como também é uma das principais competições do planeta.

Cada uma das suas etapas agrega milhares de competidores de todos os cantos do país, assim como competidores internacionais que são atraídos pelo prestígio e grandes oportunidades que esses eventos proporcionam.

Para se ter uma ideia dos valores envolvidos, apenas na última edição do BSOP Millions 2019, tradicional etapa de encerramento da temporada da série que costuma ser realizada no renomado Golden Hall do WTC Sheraton, em São Paulo, foram distribuídos mais de 27 milhões de reais para os jogadores que disputaram o evento.

Segundo dados fornecidos pelo site SuperPoker e reproduzidos pelo Lance, o Main Event (torneio principal) do BSOP Millions 2019 foi o segundo maior da história da série, com a competição geral tendo recebido mais de 20.000 entradas e pagando a quantia impressionante de R$ 9.616.370.

O maior prêmio individual da competição foi do competidor Madson Moura. O atleta, que possui uma trajetória inspiradora, levou para casa mais de R$ 1.244.790 pelo título de grande campeão do Main Event. Já Diego Beirigo, que ficou com a medalha de prata, embolsou respeitáveis R$ 840 mil.

Também vale ressaltar que os outros torneios do Millions também distribuíram grandes premiações. O Start-Up premiou os primeiros colocados com R$ 2.357.525, enquanto o High Rollers distribuiu R$ 2.862.990 entre mais de 60 atletas que conseguiram boas posições.

2020 promete grandes novidades e muitas emoções

Desde sua introdução, há mais de uma década, o BSOP mudou bastante. Nos últimos anos, as novidades envolveram a realização de eventos internacionais, como torneios em Puerto Iguazú e Punta del Este, mas este ano as grandes mudanças são as novas regras de pontuação.

Desenvolvidas após a realização de uma ampla consulta com competidores profissionais e jogadores recreativos, a direção do torneio ampliou o peso das pontuações obtidas nas competições paralelas, o que prestigia a entrada dos atletas nesses torneios alternativos e permite que eles ampliem o leque de opções sem se preocupar em abrir mão dos pontos que seriam conquistados no evento principal.

O competidor que conseguir ser premiado em um torneio paralelo e tiver realizado uma inscrição ou reentrada conquistará 100% dos pontos pela colocação obtida. Agora, se o atleta tiver realizado mais uma reentrada ele conquistará 60% da pontuação, enquanto mais de 5 entradas darão direito a 30% do total de pontos obtidos.

O campeão de 2019, o grande competidor Marcelo Mesqueu, ainda teria sido campeão de acordo com as novas regras devido a sua margem de mais de mil pontos em relação ao segundo colocado. Ainda assim, as mudanças de pontuação para 2020 permitirão uma competitividade muito maior para todos os atletas.

A temporada BSOP 2020 começou no dia 30 de janeiro e foi até o dia 4 de fevereiro, com a primeira etapa ocorrendo no Royal Tulip Brasília Alvorada da cidade de Brasília. Já existem mais duas etapas confirmadas em São Paulo, com a primeira ocorrendo de 19 a 24 de março e a segunda entre os dias 15 e 22 de julho, ambas no já mencionado Golden Hall do WTC Sheraton. Ainda não há informações sobre a datas e locais dos outros eventos.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.