Os servidores públicos estaduais do quadro geral, educação e saúde estão no 9º dia de greve e, até o momento, o Governo do Estado ainda não apresentou nenhuma proposta para a categoria e sequer chamou os Sindicatos para negociar. O Governo segue trancando a pauta de negociação e os servidores continuam realizando protestos e mobilizações em todo o Estado. E agora os médicos também não conseguiram mais esperar e Sindicato da categoria resolveu aderir a greve.

Os médicos que atuam no serviço público estadual de saúde decidiram iniciar a greve geral da categoria nesta terça-feira, 16 de agosto.  A greve dos médicos vai atingir os atendimentos ambulatoriais e as cirurgias eletivas. Serviços de urgência e emergência serão mantidos.

A decisão foi unânime em assembleia na noite de quinta-feira, 11, na sede do Sindicato dos Médicos no Tocantins (SIMED-TO). O SIMED-TO, como os demais sindicatos que compõem o movimento grevista, cobra do governo do Tocantins o pagamento dos retroativos da revisão geral anual (data-base) de 2015, bem como a implantação da revisão geral anual (data-base) de 2016.

“Esta é a primeira vez, em 27 anos de existência, que o SIMED-TO publica um edital convocando os médicos para decidirem sobre uma greve. Até hoje, sempre conseguimos manter os serviços de saúde funcionando através de muita conversa e negociação com o governo, demais sindicatos da saúde e os profissionais. Mas chegamos ao limite das negociações que não estão sendo cumpridas”, explica Janice Painkow, presidente do SIMED-TO.

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.