Halum e presidente do INSS

Há mais de 10 meses a falta de médicos peritos do INSS tem sido um problema para quem depende do serviço em Araguaína. Moradores da cidade precisam viajar até 250 km para realizar a perícia e ter acesso ao benefício. Preocupado com situação, o deputado federal César Halum (PRB-TO), esteve em audiência, nesta quarta-feira, 31, com o presidente do Instituto Nacional do Seguro Social – INSS, Leonardo Gadelha, que a pedido do parlamentar se comprometeu a transferir, em regime de urgência, um servidor para realizar os procedimentos.

“Não podemos brincar em serviço, principalmente quando tratamos da saúde humana, por isso, como prometido, estive hoje com o presidente do INSS cobrando uma solução para essa demanda. Ele me garantiu que fará o quanto antes a transferência de algum servidor para ocupar essa lacuna que tanto tem prejudicado os araguainenses”, explicou Halum.

Em um vídeo divulgado nas redes sociais de Halum, Gadelha afirmou que tomará medidas emergenciais para realizar a transferência de uma autoridade pericial para Araguaína. “Vamos localizar algum médico perito que tenha interesse em se deslocar para a cidade e assim solucionar o problema que afeta também cidades vizinhas”. O presidente ressaltou que atualmente no Brasil dos cerca de 4,3 mil médicos peritos do INSS, apenas 2,5 mil estão no atendimento direto ao cidadão. “Infelizmente é um déficit que trabalhamos diariamente para reverter”, desabafou.

Também sensível a causa, o vereador de Araguaína e servidor de carreira do INSS, Carlos Silva, comemorou a decisão. “Tenho lutado por isso desde o início, inclusive estive em audiências em Brasília a procura de respostas positivas. Cabe ressaltar que as pessoas que precisam desse tipo de atendimento, em sua maioria, já encontram-se em situação delicada social, financeira e de saúde, ficando ainda mais difícil os deslocamentos para outras cidades. Espero que de fato tudo seja solucionado o mais breve possível”, disse.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.