Dona Clarimunda recebe Miguel pela segunda vez e fala da luz que ele traz a sua vida

O Projeto de Cinoterapia ou Terapia Facilitada com Cães (TFC) completa 2 anos em 2019, e já realizou mais de 750 visitas à pacientes no Hospital Geral de Palmas (HGP). Lançada em outubro de 2017, a ação visa levar alegria, conforto e carinho às pessoas que estão nos leitos do hospital, além de resgatar a autoestima, proporcionando mais confiança e qualidade de vida.

Segundo a psicóloga do HGP, Jaqueline Montenegro, a chegada dos cães ao hospital gera uma grande expectativa dos pacientes e some com as tristezas, preenchendo todo o ambiente com amor.

“É incrível você ver um paciente que antes estava tão cabisbaixo ser energizado com a visita de um cão. Esse projeto muda tudo e humaniza o ambiente hospitalar, além é claro de proporcionar uma melhora emocional e biopsicossocial do pacientes”, destaca Jaqueline.

Em atendimento na área de oncologia do HGP, o cãozinho Miguel visita pela segunda vez dona Clarimunda Ferreira que recebe o animalzinho de braços abertos com um diálogo de muito carinho e amizade.

“Você voltou Miguel, já estava com saudades! Você tem que vir mais vezes me ver, viu?”, ressalta a paciente que complementou: “Eu amo cachorro e já criei muitos, que infelizmente morreram. Com o Miguel aqui, me faz lembrar os meus bichinhos e de todo amor que eles me davam, um carinho puro e sem interesse. Quando vejo o Miguel chegar ele ilumina meu dia e toda a tristeza vai embora”, enfatiza dona Clarimunda.

Os voluntários com os seus cães visitam o hospital todas as terças-feiras, acompanhados da equipe responsável. As visitas são divididas por semana entre cada ala de internação que atende pacientes de dentro e fora do estado.

Na ala da nefrologia, a paciente Monara Lobato, da cidade de Natividade, também recebeu a visita do Miguel, onde o cãozinho a ajudou a lembrar do quanto ela é amada.

“Eu recebi uma notícia triste pela manhã e só sabia chorar. Mais daí recebi a notícia que o Miguel estava no hospital e fui me arrumar para receber a visita dele. A presença dele me traz alegria e me faz perceber o quanto eu sou amada por Deus e pela minha família e que não posso deixar que nada me derrube ou traga sofrimento ao meu coração, pois tenho que viver positivamente. Amo muito cachorros porque eles são honestos e sentem quando você precisa de carinho e atenção, e se aproximam para mostrar que eles podem oferecer tudo isso, só tem que tá aberto para receber”, destaca Monara.

O projeto

A ideia de um trabalho de cinoterapia, levando os cães como coterapeutas em atendimento aos pacientes, foi idealizada após a equipe técnica do Corpo de Bombeiros Militar do Tocantins (CBM) concluir o Curso de Cinotécnico na cidade de Xanxerê, estado de Santa Catarina, em 2017, onde vivenciaram a experiência realizada no Hospital São Paulo.

No mês de outubro do mesmo ano, o CBM assinou um termo de parceria com o Hospital Geral, Hospital Infantil e com o Centro Universitário Luterano de Palmas (Ceulp/Ubra). Acordado, os hospitais assim receberiam as visitas dos cães para a cinoterapia e a Ulbra cuidaria da saúde dos cães selecionados por meio do Hospital Veterinário da unidade.

Os pacientes do HGP recebem as visitas dos animais uma vez por semana, sempre acompanhados por uma equipe de psicólogos, fisioterapeutas e bombeiros, com duração de até uma hora. As visitas são propostas aos pacientes, que optam por receber ou não esse acompanhamento.

Segundo o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Reginaldo Leandro, o projeto tem como objetivo proporcionar a melhora da autoestima do paciente, levando carinho e alegria ao seu leito, assim, amenizando a dor e a saudade dos animais de estimação ou da família que não pode está presente constantemente.

“Já no início o projeto foi mostrada sua eficácia relatada pelas equipes dentro dos hospitais, como o desenvolvimento de pensamentos positivos, a troca de afeto, sensação de conforto e bem-estar, além dos estímulos mentais, físicos e emocionais. Todos os envolvidos acreditam que esse projeto possa fazer muito mais e estão alinhados para que o alcance seja cada vez maior,” destaca o comandante-geral.

Voluntários

O projeto de Cinoterapia conta com três voluntários e seus cãezinhos, Miguel, Pititico e Marie. Mas para que o projeto tenha mais força e consiga atender ainda mais pacientes, o Corpo de Bombeiros precisa de apoio de outras pessoas que tenham os cães dóceis e que estejam dispostos a participar de visitas aos hospitais.

Segundo o voluntário Bernardo Dania, ao inscrever o Miguel como coterapeuta do projeto ele ficou um pouco receoso quando descobriu que teria que estar presente em todas as visitas, pois imaginava os pacientes em situações críticas que ele mesmo não conseguiria presenciar, mas logo desmistificou essa situação.

“Estamos presentes desde o começo do projeto, mas de início tudo foi uma surpresa pra mim. Eu previa um processo muito mais doloroso, de acompanhar o sofrimento das pessoas e então questionei os bombeiros. Será que consigo? Porque eu teria que me comprometer com uma situação que não sabia se aguentava, pois não sabia o que eu iria ver por lá. No entanto, foi o contrário, não vi nada de assustador e nem sofrimento que eu não pudesse acompanhar. As pessoas lá só estão fragilizadas e em um momento íntimo delas, e é aí que entra a mágica do cachorro como chave de interação com o ser humano. Com um cachorro na mão eu sou tratado como membro da família, assim também chego, já sou bem-vindo e as pessoas se sentem à vontade para me contar um pouco da sua história, abrindo uma brecha de 15 minutos ou mais para que eu também possa ter essa interação. O cachorro permitir tudo isso, foi algo que me maravilhou ainda mais com adultos que eu imaginava que seriam menos receptivos nessas visitas”, relata Bernardo.

Os interessados podem ligar no telefone 3218.4718, onde uma equipe capacitada irá agendar uma avaliação comportamental e médica para atestar o animal como apto para realizar a visita em um ambiente Hospitalar. Cuidados de higiene também serão solicitados, como as vacinas em dia, atestado médico veterinário e o banho para os dias de visita para que haja uma troca de carinho com sanidade.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.