Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

Nesta terça-feira,9, completa uma semana da fuga em massa registrada no presídio Barra da Grota em Araguaína. Ao todo, 18 escaparam, sendo que nove foram mortos durante confronto, um se entregou após ficar ferido, seis foram recapturados e 12 continuam foragidos. O delegado da Polícia Civil, Bruno Boaventura, que participa das buscas disse que a equipe perdeu o contato com fugitivos.

“As diligências foram bem frutíferas porque conseguimos tirar das mãos dos bandidos todos os reféns e após um confronto com a polícia, nove deles faleceram. Após isso, continuamos o cerco ininterrupto, mas após isso nós perdemos o contato com os presos, contato visual e contato de informações”, explicou.

Boaventura disse também que a estratégia da polícia mudou. “A gente parte para uma outra linha de buscas, que é um trabalho de inteligência da Polícia Civil, que irá fazer o contato com outros locais, com outras delegacias e também a gente tem uma gama de equipamentos, de materiais que podem nos ajudar a encontrar esses foragidos, até mesmo em outros estados próximos”.

Na visão do delegado, presos podem ter tido ajuda interna ou externa para fugir. “Nós não descartamos essa ajuda. O presídio Barra da Grota para quem o conhece bem, como eu conheço, possui uma estrutura muito boa e para que os presos tivesse acesso ao lado externo, nós não achamos que só foi falha de procedimento. Falha de procedimento poderia ter ocorrido dentro, mas depois que eles saíram, com certeza, alguma coisa maior pode ter acontecido”. (G1)

Comentários do Facebook