Delegado de Polícia Civil - Dr. Carlos Roberto Smith
Delegado de Polícia Civil - Dr. Carlos Roberto Smith
Delegado de Polícia Civil – Dr. Carlos Roberto Smith

A Secretaria de Estado da Segurança Pública – SSP informa o falecimento do Delegado de Polícia Civil, Dr. Carlos Roberto Smith ocorrido na manhã de domingo dia 27 de Outubro em Palmas. O Dr. Smith, como era carinhosamente chamado por todos, faleceu em decorrência de complicações causadas por um câncer, contra o qual lutava há mais de um ano, no hospital Osvaldo Cruz na capital.

Dr. Smith era natural do Estado de São Paulo, tinha 64 anos de idade e ingressou na Polícia Civil Tocantinense ainda no ano de 1989, quando da criação do Estado e, era considerado um dos pioneiros da instituição. Exerceu suas funções com comprometimento, responsabilidade e muita eficiência em várias delegacias e Diretorias da instituição.

Foi Diretor de Polícia da Capital, Diretor da Polícia Comunitária, tendo também desempenhado atribuições como Delegado Titular da Delegacia Interestadual da Polinter e Capturas, Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa, Delegacia de Costumes, 3ª DP e Plantão, dentre outros. Ultimamente, o Delegado Smith era o responsável pela Delegacia Virtual.

Homem espirituoso, tranquilo e de sorriso fácil, o Delegado Smith sempre tinha uma palavra amiga a quem dele se aproximava. Não fazia distinção hierárquica sempre tratando a todos com muito carinho, respeito e atenção.

Sempre se colocou a disposição para contribuir com sua experiência e capacidade de trabalho para o engrandecimento da Polícia Civil do Estado do Tocantins, instituição da qual tinha muito orgulho de pertencer, após ter sido Agente e Delegado Federal no Estado de Rondônia.

Por onde passou, o Delegado Smith deixou não só companheiros de trabalho, mas sim verdadeiros amigos dos quais conquistou respeito e muita admiração não só pelo excelente profissional que foi, mas também pelo ser humano fantástico de caráter e condutas ilibados que permearam sua vida e sua trajetória profissional durante os 64 anos que esteve entre nós.

Mesmo quando se encontrava muito debilitado, em função da doença que enfrentava, o Delegado Smith nunca se deixou abater e jamais entregou os pontos, dizendo sempre que Deus não poderia levá-lo antes que ele concluísse sua missão aqui na terra. Mas, na manhã deste domingo, o criador entendeu que a missão do Delegado Smith estava finalizada e, portanto, chamou o guerreiro para descansar eternamente ao seu lado.

O Delegado Smith deixa esposa, a perita criminal, Maria de Fátima Pontes Correa e filhos. Seu velório ocorreu, a partir das 16hs do domingo na Sede do Sindicato dos Delegados de Polícia Civil; Sindepol, localizado na Avenida Teotônio Segurado em Palmas.

Comentários do Facebook