Kits de medicamentos para a Covid-19.

Seguindo o novo protocolo do Ministério da Saúde, a Prefeitura Municipal de Xambioá, na região norte do Tocantins, adquiriu medicamentos específicos para serem distribuídos aos pacientes positivados para o COVID-19, composto por Cloroquina 450mg; Sulfato de zinco 66 mg; Azitromicina 500 mg e Dipirona ou Paracetamol.

De acordo com o secretário de saúde do município, Marcus Venícius, existem algumas regras para obter as medicações. “É importante explicar que os pacientes com diagnóstico de coronavírus já eram previamente medicados com remédios para conter os sintomas. Agora com o protocolo, se houver prescrição médica e se o paciente a família concordarem e realizarem a assinatura de termo de ciência e consentimento serão entregues os kits de medicamentos pela Secretaria Municipal de Saúde”, explicou.

Todos os casos suspeitos e confirmados da doença são acompanhados todos os dias pela Secretaria Municipal de Saúde, que continua empenhada em mapear, monitorar e testar o maior número possível de casos suspeitos de contaminação pelo novo coronavírus.

Combate ao Covid-19

O município está em lockdown ou distanciamento social ampliado desde o último sábado, dia 16. Até o momento há 31 pessoas confirmadas para Covid-19 e uma morte. “Temos que ser rígidos nesse momento, antes que a situação fuja ao controle e estamos fazendo tudo que está ao nosso alcance para garantir a segurança da população. Temos reforçado o trabalho preventivo. Já distribuímos mais de 8 mil kits de máscaras e álcool em gel e estamos fazendo um trabalho de descontaminação das principais avenidas e espaços públicos de Xambioá. Temos barreiras informativas e sanitárias na entrada da cidade e em parceria com a ROTAM da Polícia Militar estão sendo realizadas blitzes e triagens na balsa, na divisa com o Pará”, explicou a prefeita Patrícia Evelin.

“Também reforçamos os pedidos para que as pessoas não saiam de casa sem necessidade. Usem máscara caso seja necessário sair da sua residência, o uso é obrigatório, e mantenham os hábitos de higienizar bem as mãos com água e sabão ou álcool em gel, além de evitar toques nos cumprimentos”, complementou Patrícia.

Empatia

A pedido da prefeita também está sendo desenvolvida na cidade, com apoio da Secretaria de Ação Social, uma campanha informativa para conscientizar a população sobre os efeitos do preconceito às vítimas da Covid-19. “Nossa cidade é pequena e as pessoas se conhecem muito entre si, então, por mais que a gente tenha o cuidado de não identificar quem são as pessoas que tem resultado positivo, a notícia acaba circulando e notamos que esses moradores estão sendo alvo de preconceito e discriminação, o que não podemos permitir. Quem contrai a doença é vítima e precisa do nosso apoio”, explicou.

A intensão da campanha é explicar que é possível dar apoio por telefonemas e mensagens e ajudar quem se contaminou a enfrentar esse momento difícil. Além de permitir que, após curada, seja reinserida na comunidade sem receio de que contamine outras pessoas.

Comentários do Facebook