Alunos que participara do projeto tiveram novo ânimo

Diante dos desafios do ensino durante a pandemia do Covid 19, muitos professores tiveram que utilizar novas abordagens e desenvolver iniciativas para motivar os alunos a continuarem estudando. Um dos projetos que recebeu destaque nesse período foi o Vaga-lumes, desenvolvido pela professora de Língua Portuguesa e do Projeto de Vida, Ionara Miranda da Cunha, do Centro de Ensino Médio Paulo Freire, de Araguaína.

O Vaga-lumes promoveu um novo sentido na vida dos estudantes, como contou a aluna Mariana dos Reis Pereira, 16 anos, que estuda na 2ª série do ensino médio. “O projeto me motivou bastante, pois, eu estava muito apreensiva com tudo o que estava acontecendo com a pandemia, eu ligava a TV e o destaque era o número de pessoas morrendo, que aumentava a cada dia. Com isso, fiquei desmotivada. Com as atividades das rodas de conversas, que o projeto proporcionou, nos levou a refletir sobre a vida, a realidade e sobre os sonhos. Foi com o Vaga-lume que me despertei e comecei a pensar no futuro e a desenvolver o meu projeto de vida”, esclareceu a estudante Mariana.

E foi esse o objetivo do projeto Vaga-lumes, motivar os alunos e apresentar a importância da inteligência emocional e das habilidades socioemocioanais. “Com isso, foi possível trabalhar conceitos como confiança e compreensão nas relações interpessoal e intrapessoal, e dessa forma, os estudantes estavam mais aptos para encarar situações difíceis com mais facilidade, gerando capacidades de superação e possibilidades de realizar os sonhos”, explicou a professora Ionara.

Para a estudante Mariana, o projeto Vaga-lumes lhe levou para mais longe do que estava acostumada a pensar. “Aprendi a pensar fora da caixa, a ser mais criativa e otimista. Assim, fui estabelecendo mais firmeza nos estudos e principalmente, no meu projeto principal, que é conseguir realizar os meus sonhos”, frisou.

A professora Ionara explicou que muitos estudantes ficaram desmotivados devido o processo da pandemia e suas consequências na vida da população. “Esse momento acarretou incertezas na vida de todos”, contou.

Com o desenvolvimento do projeto, a escola promoveu rodas de conversas com temas propostos pelos alunos. Após as conversas, a professora gravou podcast com os estudantes falando sobre a construção dos seus projetos de vida. E a cada final do bimestre, esses alunos receberam um selo digital Protagonismo em Ação, como forma de reconhecimento. E fotos dos estudantes e o selo digital eram divulgados nas redes sociais da escola.

A estudante Gabriela Gama Chaves, 17 anos, também destacou as rodas de conversas propostas pelo projeto. “Um dos temas que me chamou a atenção foi sobre rótulos e conceitos que nos limitam. Aprendi que não devemos nos prender a nada, gostei muito das palestras que tivemos e me senti motivada a elaborar o meu projeto de vida”, ressaltou Gabriela.

Fora da caixa

A professora Ionara explicou que desenvolveu a dinâmica Pense fora da caixa, que representou uma forma de levar os estudantes a ampliarem a sua maneira de pensar e de agir. “Percebemos que muitos alunos tinham o desejo de ter uma independência financeira, então, convidamos uma consultora empresarial, que ministrou uma palestra sobre protagonismo e a transformação da vida financeira, após essa atividade, alguns estudantes que estavam sem um caminho a seguir, começaram a traçar o projeto de vida voltado para uma faculdade de economia, de administração ou para a área do empreendedorismo. Então, percebemos o quanto essas atividades realizadas com a influência do projeto Vaga-lumes ajudou os estudantes a traçarem novos caminhos, metas e sonhos”, destacou Ionara.

O resultado do projeto Vaga-lumes foi compartilhado como experiência pedagógica de sucesso para outras instituições de ensino e para diversos professores.

Comentários do Facebook