Após denúncia anônima recebida pelo Disque Defesa da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), uma equipe do setor de inspeção animal interditou uma propriedade rural no município de Talismã, região sudoeste do Estado, por constatar abate clandestino de bovinos. A ação, que ocorreu na quarta-feira, 8, contou com o apoio da Polícia Ambiental. O produtor rural foi multado em R$ 1 mil e teve a propriedade interditada para abatedouro, por tempo indeterminado, uma vez que o abate só pode ser realizado em estabelecimento com inspeção oficial.

De acordo com o inspetor de defesa agropecuária da Adapec, Dwany Carvalho, no local havia muitos resíduos de animais mortos: ossos, couros e órgãos em decomposição. “O abate era feito anexo ao curral, em uma instalação precária, e segundo o funcionário da fazenda as carnes eram destinadas ao comércio local, por isso, vamos oficializar a Vigilância Sanitária para fiscalizar todo o comércio do município e fazer cumprir a Lei nº 3136”, explicou. A Lei obriga supermercados e açougues a divulgarem, de forma visível, a origem das carnes comercializadas.

Para o presidente da Adapec, Humberto Camelo, esta ação comprova que a população está mais vigilante e tem exigido produtos de qualidade para o consumo. “Temos apurado diversas denúncias recebidas de suspeitas de abate clandestino ou produção ilegal de outros produtos de origem animal, nossas equipes estão vigilantes, priorizando à saúde pública”, destacou.

Disque Defesa

O Disque Defesa funciona por meio do telefone 0800 63 11 22, qualquer pessoa pode denunciar, mantendo a identidade preservada. Assim, o serviço ajuda a fortalecer as ações para coibir irregularidades e manter a sanidade da agropecuária tocantinense, além de garantir a saúde do consumidor. A ferramenta também é utilizada pelos produtores rurais de todo o Estado para tirar dúvidas, fazer sugestões e reclamações, além disso, para notificar a Agência sobre enfermidades que atingem a produção agropecuária.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.