Uma reunião entre a chefe do Núcleo regional do Procon em Araguaína, Kroline Guetner Vinhal e a Energisa, concessionária de energia elétrica no Estado, na última semana, tratou sobre os 355 Atendimentos protocolados no  órgão, de janeiro até este mês de setembro de 2016.

Deste total, 119 são de Atendimentos Preliminares, 100 Carta de Informações Preliminares (CIP); 36 resultaram em Abertura Direta de Reclamação (Processo Administrativo) e 100 foram Simples Consulta.

As principais reclamações levadas ao Procon referentes ao setor de energia elétrica versam sobre variação de consumo, cobrança indevida, duplicidade de cobrança, aferição não concluída e troca de Medidor sem aviso prévio.

Estas estatísticas foram discutidas no encontro de trabalho entre a empresa e o Procon, que elencou os entendimentos adotados para solucionar as demandas dos consumidores que procuram ajuda. Além de analisarem-se formas de melhorar os serviços prestados pela Energisa, sempre, conforme disse a chefe do Núcleo,  buscando nivelar ideias que resultem em melhor atendimento ao consumidor.

Kroline Vinhal considerou que a reunião foi um “momento de diálogo satisfatório” em que a Energisa ouviu os principais problemas relatados pelos consumidores em suas reclamações no órgão de defesa,  dispondo-se a desenvolver uma boa prestação de serviço a partir de agora.

Foi firmado um pacto informal entre Procon e Energisa regional , dispondo-se os representantes da empresa a oferecerem um canal de relacionamento com o Procon “harmônico e produtivo”, devendo os dois órgãos se aliarem para tentar sanar as questões pertinentes.

A Energisa foi representada por Rosilene Nunes de Sousa, responsável pela ouvidoria no Tocantins e Wargton Guerra,  supervisor de atendimento em Araguaina.

Também participaram Eliania Mendes e Glaucia Belo, servidoras do setor de Atendimento do Procon de Araguaína, e Milena Barros e Renata Vasconcelos, responsáveis pelas Audiências de Conciliação.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.