Wanderlei Barbosa e Mauro Carlesse

Empossado como vice-governador em 9 de julho, Wanderlei Barbosa (PHS) conversou com o NT sobre os desafios do governo tocantinense, comentou sobre a liderança de Carlesse nas pesquisas de intenção de votos e falou com argumentos e posições firmes sobre os desafios futuros.

Barbosa afirmou que analisa com humildade o resultado positivo nas pesquisas, que apontam vitória da chapa governista já no primeiro turno para as eleições de 7 de outubro, nós agradecemos ao povo do Tocantins que tem visto nosso projeto como bom para o estado, tem avaliado de forma positiva as ações do governo e isso repercute nas pesquisas de opinião pública. Contudo, temos que continuar com pé no chão, temos que ir aos municípios e conversar com os líderes, temos que ouvir nossos servidores públicos, temos que ouvir nossos prefeitos, vereadores aos profissionais liberais e formatar um grande governo, as pessoas esperam isso, isso tudo repercute nas pesquisas de opinião pública.

Temos ainda muito trabalho pela frente e já estamos trabalhando muito nos municípios e vamos continuar assim. O nosso trabalho é para corresponder à confiança do povo tocantinense, que, no primeiro momento nos deram vitória no primeiro turno da suplementar e em seguida uma expressiva votação no segundo turno com 75% dos votos válidos. Ressaltou.

Sobre a eleição de 7 de outubro Barbosa disse que a chapa governista tem uma boa aceitação e que, continuam trabalhando todos os dias para corresponder essa confiança e buscarem a vitória já no primeiro turno, isso não é para dizer que somos os bons não! É para evitar tantas despesas com eleições que aconteceram em nosso estado, quatro eleições e quatro meses, isso é ruim para o estado e o Carlesse tem o perfil de trazer essa estabilidade, de trazer para o Tocantins uma boa prestação de serviço público e acho que isso vai dá a nós e com fé em Deus essa vitória em 7 de outubro. Destacou.

Araguaína

Sobre Araguaína o vice-governador disse que tem uma enorme gratidão aos araguainenses que na eleição suplementar deram uma vitória grandiosa a ele e à Carlesse no segundo turno da suplementar e disse esperar o mesmo tratamento nas eleições de 7 de outubro, como já apontam as pesquisas.

Temos parceiros, políticos bons, pessoas representativas da sociedade como é o caso do prefeito Dimas, vários vereadores, deputado Lázaro Botelho, deputada Valderez, deputado Olyntho Neto, deputado César Halum que é nosso candidato à senador, nós esperamos com esses líderes, com entendimento que tem a população de Araguaína, temos a crença e, se Deus quiser repetir a votação e servos vitoriosos já no primeiro turno. Disse Barbosa.

Projetos

Wanderlei Barbosa disse que todos os projetos são feitos em parceria com o município e, que o prefeito Ronaldo Dimas levou vários projetos de vários setores da administração, bem como a obra da TO-222, que a mesma foi feita uma correção de preço e que o governo está analisando e aguardando a permissão da lei eleitoral para concluir as obras.

Mutirão de cirurgias

Existia uma demanda reprimida de 6 mil cirurgias no estado quando recebemos o governo e já foi feito muitas correções disso e já melhorou muito o tratamento de saúde nos hospitais regionais, ainda temos filas, mas já melhorou muito, o secretário da pasta Renato Jaime tem correspondido muito, tem dado resposta no tratamento de saúde do tocantinense e nós vamos com fé em Deus e, em breve dizer: Nós temos cirurgias que demoraram quinze dias.

O nosso trabalho é para isso, melhorar e não deixar que as pessoas usuárias do sistema público de saúde fiquem 30, 40 dias e até dois meses como ficavam.

Ainda temos demanda nesse aspecto, mas seguramente iremos trabalhar para melhorar e isso não vai ser feito em 60 ou 90 dias, isso será feito a partir de um ano, as pessoas vão chegar e ter uma resposta imediata e também diminuição de filas. As correções do passado estão sendo feita e o governo do estado tem um planejamento que em pouco tempo será sanado. Destacou.

Recuada e retorno de Amastha

Perguntado sobre o evento em que o candidato do PSB ao governo do estado protagonizou em desistir da candidatura um dia após a convenção e retornar novamente no outro dia, o vice-governador Wanderlei Barbosa disse que é uma instabilidade de Amastha e que tal atitude é vista como falta de confiança no projeto.

Nós não queremos fazer o projeto do ódio, nosso projeto é de coalisão, de convergência, queremos chamar as forças políticas para nossa direção, aquelas que são boas, que prestam um serviço relevante para a comunidade tocantinense, não queremos trabalhar com aqueles que dificultaram a vida do tocantinense nos hospitais, queremos pessoas que prestem.

Eu nunca acreditei muito no projeto político de Amastha, apoiei ele aqui em 2012 e sai de perto ainda no primeiro ano de gestão porque eu não acreditei naquele modelo, um modelo que não tem pela sociedade e nem pelas pessoas que ele representa o tratamento que dveria ter e ser dado, essa sua recuada se foi uma estratégia o tiro saiu pela culatra porque as pessoas não entenderam, as pessoas entenderam como uma instabilidade política por parte dele [Amastha] que naquele momento liderava um grupo grande.

Aqui no nosso grupo tem no governador Carlesse uma referência, um governador que conversa, que dialoga com os grupos políticos do estado e tem na sua gestão um conselho gestor e que vai trabalhar ouvindo os companheiros valorizando cada um, principalmente na sua representatividade.

Nós condenamos a instabilidade e queremos fazer um governo de estabilidade em todo o Tocantins, por isso que acredito muito no projeto do governador Carlesse. Concluiu Wanderlei Barbosa.

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.