Kátia Abreu

A senadora Kátia Abreu (PDT) foi escolhida para ser vice na chapa do candidato à Presidência, Ciro Gomes. Ela tinha recebido o convite oficial do partido na última quinta-feira, quando foi chamada para uma reunião de emergência da campanha no Rio de Janeiro. O partido ainda tentava até o último minuto conquistar alianças para o projeto presidencial de Ciro, e nutria esperanças de que o PC do B pudesse aderir a Ciro e indicar Manuela D’Ávila para o posto.

“Fui convidada na quinta-feira, mas ainda estávamos lutando até o último minuto por alianças. Quando me chamaram eu disse que seria uma honra, e que tudo o que puder fazer para somar, estou dentro “, disse Kátia.

A senadora, que já foi presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA) e ministra da Agricultura disse que foi chamada às pressas pelo presidente do PDT, Carlos Lupi, na noite de ontem para ir à Brasília.

Ao lado dela, o presidenciável pretende atenuar a pecha de machista que ganhou nos últimos anos, principalmente depois de ter dito que o papel de sua então mulher Patrícia Pillar na campanha de 2002 era dormir com ele. Dados da Justiça Eleitoral mostram que 52% do eleitorado brasileiro é formado por mulheres.

Outro ativo de Kátia é sua entrada no mundo rural, setor responsável por grande parte do PIB nacional. Com esse movimento, Ciro espera conquistar um eleitor mais de centro, ligado à atividade econômica que abrange sobretudo as regiões Centro-Oeste e Sul. O ponto negativo é que a senadora é alvo de um inquérito no âmbito da Lava-Jato por ter supostamente recebido, via caixa dois, repasses de R$ 500 mil da Odebrecht para sua campanha ao Senado. Em seus discursos, Ciro tem propagado que em 38 anos de vida pública nunca cometeu desvios éticos.

O pedetista terá agora o desafio de fazer campanha com apenas 40 segundos no horário eleitoral. A interferência do PT foi decisiva para impedir que Ciro fechasse aliança com o PSB. No último sábado, o presidenciável ainda teve que reagir a um ataque especulativo petista, que levantou a possibilidade dele ser vice na chapa encabeçada até agora pelo ex-presidente Lula.

De integrante do PFL a aliada de Dilma Rousseff

Conhecida pela personalidade forte, a senadora Kátia Abreu (TO) começou sua carreira política no antigo PFL (hoje DEM), passando pelo PSD, MDB e, finalmente, PDT, ao qual se filiou no fim do ano passado. Com a morte do marido em um acidente aéreo, ficou viúva aos 25 anos. Largou a vida de dona de casa e passou a gerenciar a fazenda de soja e gado deixada pelo marido em Tocantins. (O Globo)

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.