Os anestesiologistas que prestam serviços ao Estado paralisaram nesta segunda-feira, 01, suas atividades em todos os hospitais do Tocantins. A decisão da paralisação foi divulgada pela Cooperativa dos Médicos Anestesiologistas do Tocantins (Coopanest/TO) responsável pelo contrato de serviços prestados ao Estado. A interrupção se deve à falta de pagamento dos serviços desde setembro de 2015.

Na última sexta-feira, 29, a Coopanest/TO protocolou o documento informando a paralisação ao Ministério Público Estadual e também ao Conselho Regional de Medicina. Na manhã de hoje, o presidente da Coopanest/TO, Mário Sérgio Borges, entregou uma carta ao secretário de Saúde do Estado, Marcos Esner Musafir, informando a suspensão a partir desta segunda.

A dívida do Estado com a cooperativa já chega a 13 milhões, segundo Borges. “Temos cerca de 100 anestesias associados, eles são responsáveis por atender todo os hospitais regionais do Estado, devido o contrato que temos.”

Ainda segundo o presidente, continuará havendo atendimentos nos hospitais apenas de cirurgias classificadas como urgência e emergência, definida pelo médico cirurgião responsável.

“Hoje nós temos anestesistas no interior que vão trabalhar de bicicleta porque não possuem mais crédito para gasolina e aí sem recebermos esse pagamento fica difícil cumprirmos essa escala e o profissional se manter”, relata o presidente.

Acordo

Borges explicou que em maio deste ano, foi realizado um acordo entre as secretarias de Saúde, Fazenda e a cooperativa, para que fosse pago o valor já em atraso. “No acordo escrito foi decidido que todo dia 27 haveria pagamento por parte da secretaria da Fazenda, que disse que era viável. Em maio eles não pagaram, nós da cooperativa pagamos e reduzimos a escala. Em junho, pagaram metade e no dia 27 de julho não pagaram nem metade e nem o valor cheio desse mês. Aí nos vimos obrigados a paralisar”, explica o presidente. (Jornal do Tocantins)

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.