Há correntes no MDB que defendem uma quarta candidatura do ex-governador Marcelo Miranda. Elas garantem que ele não estaria inelegível por conta da cassação em março, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por uso de caixa dois nas eleições de 2014.

Conforme essas alas emedebistas, o caso de Marcelo continuaria sub judice por conta do recurso que ainda tramita no Supremo Tribunal Federal (STF).

A ideia dessas correntes do partido é que o MDB tenha chapa completa em 2018, com Marcelo ao governo e ainda candidatos a vice, ao Senado e chapas proporcionais.

Outras correntes, contudo, defendem que a possibilidade de uma candidatura própria seja estudada com mais cuidado.

Marcelo governou o Tocantins por três vezes — 2003 a 2006, de 2007 a 2009, quando foi cassado pela primeira vez pelo TSE; e de 2015 a 2018, quando houve a segunda cassação.

Em 2010, o ex-governador foi eleito senador, mas, impedido pelo STF de assumir, por conta da cassação de 2009, a vaga acabou ficando com Vicentinho Alves (PR). (Cleber Toledo)

 

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.