Igeprev – Foto: Mary Araújo

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira, 27, a operação “Naum”, com o objetivo de desarticular uma suposta organização criminosa que operou um esquema de fraudes em aplicações do IGEPREV/TO em fundos problemáticos que geraram enormes prejuízos ao Instituto, mediante pagamento de vantagem indevida.

Policiais Federais estão cumprindo medidas judiciais nos Estados do Tocantins, Goiás, Santa Catarina, Rio de Janeiro, São Paulo e no Distrito Federal.

Auditorias realizadas pelo Ministério da Previdência Social e Sindicância realizada pelo próprio IGEPREV apontam que o Instituto reiteradamente efetuou aplicações em desacordo com os limites e modalidades de aplicação permitidas pela Resolução do CMN, bem como em fundos problemáticos com alto risco de perdas.

Foi apurado um prejuízo ao erário já confirmado de R$ 263.648.310,47. Também foram constatadas aplicações no montante de R$ 1.176.842.671,64 em 27 fundos sem liquidez e com possíveis prejuízos.

A investigação é um desdobramento da Operação Miquéias da SR/PF/DF. Dentre os profetas menores do velho testamento, Naum vem depois de Miquéias. Assim, o nome da operação foi escolhido para lembrar a relação de sucessão entre as duas investigações.

Não será concedida entrevista coletiva, assim como também não serão divulgados detalhes da investigação, posto que o Tribunal Regional Federal da 1ª Região vedou a divulgação de dados incluídos nos autos.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.