O Movimento OAB Forte, formado por advogados de diversos setores de atuação no Estado, protocolaram na direção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Seccional Tocantins, um documento exigindo que o presidente da instituição, Walter Ohofugi, se pronuncie à classe se será candidato na eleição de outubro de 2018.

No documento fica evidente o desconforto da advocacia com o envolvimento político de Ohofugi, ao se filiar a partido com a possibilidade levantada pela imprensa de que pode ser candidato na eleição deste ano. A preocupação do Movimento OAB Forte, que sustenta a vontade de toda classe, é de preservar a imagem da Ordem nesse processo eleitoral, reforçando a imparcialidade e a isenção da instituição.

“A OAB é maior que qualquer presidente, conselheiro ou advogado e, exatamente por isso, deve pairar soberana sobre todas as questões político-partidárias, assumindo sempre a postura de defensora intransigente do direito e das garantias individuais”, traz a nota.

O Movimento OAB Forte não “questiona a legitimidade e liberdade, mas a notícia da referida filiação circulou e ainda repercute, acompanhada de muitas especulações acerca de possível candidatura de Vossa Excelência (Walter Ohofugi) a cargo eletivo nas eleições próximas, por força das próprias declarações que lhes são atribuídas” em veículo de comunicação do Estado.

Diante do exposto, o Movimento OAB Forte pleiteia que o Ohofugi faça veicular “Nota Pública esclarecedora de que não será candidato a cargo eletivo no pleito de 2018”.

O documento protocolado na direção da seccional Tocantins da Ordem é assinado por advogados integrantes do Movimento OAB Forte, na manhã desta quinta-feira (17).

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.