Foto: Norte do Tocantins

Os golpes e contos praticados por estelionatários são muito antigos e ainda fazem milhares de vítimas por todos os cantos do país, a maioria delas, acaba perdendo dinheiro por achar que estão levando vantagem em alguma situação.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Um leitor de Palmas que não quis se identificar, recebeu na manhã desta terça-feira, 01, em sua caixa de entrada de e-mail uma carta com as ofertas mais insanas de fortunas sem dono, dizendo que um milionário morreu e que deixou uma fortuna muito grande e esse dinheiro precisa ser transferido do país de origem para o da vítima, caso contrário, a fortuna ficará para o Governo. Veja:

Saudações,

Eu sou o barrister Elvis Edorh, sou um advogado da África Ocidental na província de Lomé na província de Togo.

Estou em contato com você sobre a morte do meu cliente falecido, que faleceu em 30 de dezembro de 2009, após tentativas infrutíferas de encontrar parentes como advogado pessoal, deixando uma grande quantia de dinheiro ($ 3,3 milhões) em um banco, decidi para obter permissão do banco.

Infelizmente, meu cliente vencido não tem nenhum parente para reivindicar o fundo / patrimônio deixado para trás, por isso entramos em contato com você para obter este fundo, porque você tem o mesmo sobrenome.

Assim que receber sua resposta, enviarei todos os detalhes e a descrição da reclamação.

Barrister Elvis Edorh

Palácio da Justiça, escritório de advocacia

52 Agoe Street, Assiyeye,

Lomé, República do Togo

O golpe funciona assim, o criminoso diz que a vítima ficará com uma porcentagem da fortuna, bastando para isso que ela disponibilize uma conta bancária para o depósito. Ele pede para que a vítima envie cópias dos documentos pessoais, e exige um depósito para despesas de transferência da fortuna.  A vítima com certeza perderá o dinheiro depositado e a tão sonhada fortuna.

A polícia alerta para esse golpe e com os mais variados motivos, como país em guerra, único herdeiro, morreu todos os familiares etc. Procure a Polícia e nunca realize depósitos bancários.

Comentários do Facebook