Nessa terça-feira, 20, o Advogado Alday Machado promoveu uma live em sua rede social onde noticiou mais uma suspeita da prática de perseguição política cometido por membros do alto escalão da atual administração de Araguatins, cidade do Norte do Tocantins. Cláudio Santana (MDB) é o atual prefeito da cidade e candidato a reeleição.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo o advogado, o caso de perseguição aconteceu com um servidor do Serviço Municipal de Saneamento (SEMUSA), que após participar de um evento político do candidato adversário foi demitido.

Na transmissão o servidor Jonas, que tem deficiência devido a um acidente, disse que sofreu perseguição do atual gestor, que foi injustamente exonerado no último dia 13, depois de participar de um evento político de um candidato a prefeito adversário no sábado 10, na Vila Planalto em Araguatins. E que o Felipe, superintendente do Semusa criou uma notificação e um processo administrativo infundado após o servidor exonerado cortar por determinação do órgão a água de um morador que tem ligação com o atual gestor.

Na terça-feira, 13, eu já estava aguardando o gestor atual me chamar para conversar, eu fiquei das 7h30 da manhã até meio dia sentado porque ele não me mandou fazer nada, ele me deixou lá de castigo, sentado esperando a vontade dele, ele chegou não falou bom dia nem boa tarde, falou bom dia, boa tarde para outras pessoas, mas não olhou na minha cara, nem conversou comigo, deu meio dia eu estava saindo para ir embora para minha casa…ele me chamou e veio com a conversa que ia me mandar embora [exonerar] porque eu não servia mais para trabalhar para ele, pois eu estava espalhando para certas pessoas que ele [Felipe – chefe do Semusa] estava me perseguindo, sendo que eu não espalhei pra ninguém, eu só falei para o atual prefeito Cláudio Santana que ele [Felipe] estava me perseguindo, que ele me deu uma suspenção porque eu cheguei 10 minutos atrasados devido a um contratempo. Nós entramos 7h30 e tem funcionários que chegam atrasados e tem tratamento diferenciado. Desabafou o servidor demitido.

Alday disse que a administração inventou o engodo de um processo administrativo para justificar a perseguição política, mas que o ato é irregular e a demissão foi injusta, já que o servidor não teve direito de se defender e que o ato não seguiu os trâmites conforme determina a lei.

Segundo informações do servidor tão perseguindo aquelas pessoas que não concordam com a ideologia de Cláudio Santana. Cláudio Santana quer obrigar todos os servidores a votarem nele, e não é assim, declarou Alday.

Para o advogado, Felipe falta com a verdade e a demissão foi sumária arbitraria e unilateral e que não existe processo administrativo e que não é fruto de uma apuração séria.

São desculpas esfarrapadas para prejudicar o servidor e o prefeito usa de seu poder para pisar na cabeça das pessoas que não concordam com a sua ideologia e vamos acionar a justiça mais uma vez, ressaltou Alday.

O advogado informou que é necessário que o servidor seja imediatamente reintegrado às suas funções do quadro junto a autarquia municipal.

 

Comentários do Facebook