Brito Miranda Júnior

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região negou um pedido de liberdade – habeas corpus – de José Edmar Brito Miranda Júnior, irmão do ex-governador Marcelo Miranda. Os dois estão presos desde o dia 26 de setembro, durante a operação 12º Trabalho, suspeitos de integrar um suposto esquema de desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro. A suspeita da Polícia Federal é que o grupo desviou cerca de R$ 300 milhões dos cofres públicos.

Esta é a segunda instância a negar o pedido de liberdade de Brito Júnior. No último sábado (12), a da 4ª Vara da Justiça Federal também negou pedido de revogação da prisão preventiva. A defesa da família Miranda foi procurada, mas não informou se vai recorrer.

Segundo o desembargador Hilton Queiroz, embora o a defesa alegue que os fatos investigados são antigos, os desdobramentos alcançam o tempo presente.

“Ademais, a medida de força, além de obstar a continuidade delitiva do paciente, também tem o firme propósito de se garantir a instrução penal, considerando que os crimes ainda estão sob investigação, não podendo o apuratório sofrer qualquer tipo de interferência, conforme tem tentado o paciente”, diz trecho da decisão.

O desembargador citou ainda que durante prisão, em setembro, Brito Júnior teria tentado esconder um aparelho celular. Além disso, em a polícia encontrou documentos escondidos atrás de um quadro durante buscas em uma empresa supostamente ligada a Brito Júnior. (G1)

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.