Roger teve traumatismo craniano leve, ele pegou 11 pontos na cabeça
Roger teve traumatismo craniano leve, ele pegou 11 pontos na cabeça

Roger Conrado da Silva, 30 anos, registrou um Boletim de Ocorrência, nesta segunda-feira, 9, no qual acusa um assessor jurídico e um vereador de espancamento, o caso aconteceu na madrugada da última sexta-feira, 6, no parque de exposições agropecuárias, em Araguatins.

Roger teve traumatismo craniano leve, além de fratura em várias costelas.

De acordo com a vítima, já por volta das 4hs, no final do show do cantor Mano Walter, o assessor jurídico da prefeitura da cidade, Antônio Edson Rodrigues, vulgo pequeno estava tendo uma briga com sua namorada, momento em que ele Roger interviu na tentativa de proteger a mulher, foi então que recebeu do pequeno um soco no rosto, daí por diante, já no chão recebeu vários chutes e pontapés de vários amigos do agressor.

Roger afirmou que o vereador Miguel Pereira da Silva (PMDB), vulgo Miguel do Cajueiro, que acompanhava o assessor jurídico também entrou na briga e o atingiu com uma cadeira de metal. Ele estava com a cadeira na mão, de metal, e veio na minha direção e ‘tacou’ na minha cabeça, segurando com as duas mãos e veio para querer, tipo assim, até me matar mesmo, disse Roger.

A cadeirada desferido contra a cabeça da vítima causou um rasgo na cabeça, a forte pancada causou o trauma que pegou onze pontos para ser fechado.

Roger foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado para o Hospital Público de Augustinópolis, onde foi atendido e medicado, ele já teve alta. A polícia está investigando o caso.

Outra versão

Antônio Edson nega a agressão, ele disse que o rapaz estava bêbado e teria o abordado com um soco nas costas. Ele confirmou que houve uma discussão entre ele a mulher por motivos de ciúmes, quando teria sofrido a agressão do Roger. Antônio disse que reagiu empurrando o rapaz, mas que logo saiu do local.

O vereador Miguel Pereira afirmou que no momento da briga estava dentro de seu carro e não participou da violência contra o jovem. Estava junto com a corporação da Polícia Militar, que são minhas testemunhas. Não estou envolvido com nenhum problema”, justificou. (Com: T1)

 

Comentários do Facebook