Escola Municipal Anne Frank / Foto: Norte do Tocantins

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado do Tocantins (Sintet), que representa todos os trabalhadores em educação pública, protocolou nesta terça-feira (03), uma ação judicial contra a Prefeitura de Palmas pedindo a suspensão das aulas presenciais até a completa imunização da categoria. O Sindicato ainda protocolou ofício à Prefeitura de Palmas cobrando mais uma vez para que o retorno das aulas presenciais aconteça somente após a imunização de duas doses de todos os profissionais da educação.

Para o Sindicato, a volta às aulas presenciais neste momento e sem o cumprimento rígido de protocolos de segurança pode aumentar as infecções em até 1.141% nas comunidades escolares, como aponta um grupo de pesquisadores brasileiros da USP, que calculou os riscos.

“O Sintet tem recebido inúmeras queixas de trabalhadores de diversas unidades apontando que estas estão sem as mínimas condições de retorno, o que é extremamente preocupante, além disso, o retorno acontece no momento em que há crescimento de infecções pela variante delta no país, que é mais transmissível”, disse o presidente do Sintet Regional de Palmas, Fábio Lopes.

O Sintet é a favor do retorno às aulas presenciais, porém de forma segura para os profissionais e comunidade escolar, e mais uma vez pede para que a Prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro reconsidere o retorno neste momento e antecipe a segunda dose dos profissionais, a exemplo de recente decisão do governo do Distrito Federal (DF).

Comentários do Facebook