(Foto: Reprodução/Pixabay)

A morte de uma cozinheira Jade do Carmo Paz Gabriel, de 34 anos, reacendeu o debate sobre o uso seguro de panelas de pressão. Neste domingo (8), Jade não resistiu aos ferimentos após o utensílio de porte industrial que usava estourar durante o cozimento, em um restaurante em Ceilândia, no Distrito Federal.

Reprodução

Para entrarem no mercado, as panelas de pressão precisam seguir as normas do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que estabelecem, por exemplo, os materiais que podem ser usados e o nível de pressão mínimo e máximo para o objeto.

O órgão institui uma série de indicações que os fabricantes devem informar aos consumidores, como vida útil das peças. Na portaria Nº 499, divulgada no ano passado, o Inmetro aponta que as válvulas reguladoras de pressão da panela devem estar sempre limpas. A cada cinco anos, a peça deve ser substituída.

Já o anel de borracha deve ser trocado sempre que apresentar danos ou sinais de envelhecimento. Além disso, o instituto alerta que o utensílio não pode sofrer modificações e que a reposição das peças deve ocorrer apenas por parte de representantes autorizados pelo fabricante.

Todas devem possuir manual de instrução, com “informações completas para uso da panela de pressão com segurança, simples de entender, incluindo detalhes de como abri-la e fechá-la, cuidados no uso, manutenção e capacidade máxima para cozimento”.

Os procedimentos de limpeza das peças, com informações sobre desmontagem e montagem, também devem ser disponibilizados pelo fabricante.

Cuidados

Especialistas ouvidos pelo g1 destacam quais são os cuidados necessários na hora de usar a panela de pressão. Dalete Barbosa Lima Fernandes, encarregada de produção do curso de gastronomia do Centro Universitário IESB, aponta que o primeiro cuidado vem antes de colocar o utensílio no fogo.

“Tem que verificar se a panela está em condição de uso. A borracha não pode estar folgada, danificada. Também é importante que o pino esteja soltando ar por todos os buracos. Não pode estar entupido”, alerta Fernandes.

Para limpar a válvula, ela aconselha usar uma agulha bem fina. É possível usar a mesma com que se limpa as bocas do fogão, por exemplo. Além disso é preciso estar atento ao volume de água dentro da panela. “Não pode ultrapassar a marca, se não a água sobe e pode acontecer um acidente”, alerta.

O empresário Roberto Cabral, que trabalha há 35 anos com conserto de panelas de pressão, aponta outro erro comum: deixar o cabo da panela para fora do fogão no momento do uso. “A pessoa pode passar, esbarrar e derrubar a panela”, explica Cabral.

Dalete Fernandes alerta que se a panela fizer barulhos estranhos, soltar água ou espuma, é hora de desligar e deixar o recipiente perder a pressão e esfriar sozinho.

Quando o alimento estiver cozido, ela aponta que é preciso deixar a pressão sair da panela naturalmente. Levantar o pino ou colocar a panela debaixo de água não são ações recomendadas.

“Tem gente que até usa uma colher, uma faca para levantar o pino. Não pode. Desliga o fogo e deixa a panela”, explica a especialista.

Conserto especializado

Roberto Cabral, dono do Hospital das Panelas, afirma ainda que não dá para vacilar quando o assunto é o reparo da panela. Assim como recomendado pelo Inmetro, é preciso buscar peças originais e empresas especialistas nesse tipo de trabalho.

“‘Às vezes, a válvula de segurança estoura e tem gente que tampa com alguma coisa para usar. Mas não pode fazer isso. Tem que arrumar. Não dá para tentar consertar a panela sozinho”, diz.

Comentários do Facebook