A Justiça acolheu parecer do Ministério Público do Tocantins (MPTO) e converteu, nesta quinta-feira, 1º, a prisão em flagrante de Luciano Almeida de Souza, realizada em Augustinópolis, na quarta-feira, 31, pelo crime de tráfico de drogas ilícitas, em prisão preventiva.

Luciano Almeida de Sousa foi flagrado no momento em que comercializava, a um adolescente, três porções de substância que se assemelha ao crack, em uma estrada que dá acesso ao Povoado Cacheado. Questionado pela Polícia Militar, ele confessou que havia mais seis porções da droga enterradas próximo ao local e que existia outro montante em sua casa, para onde a polícia se dirigiu e encontrou mais 32 porções também embaladas e prontas para comercialização. Neste momento, os policiais deram voz de prisão ao autuado, que foi encaminhado à Central de Flagrantes da Polícia Civil.

O pedido de conversão da prisão em flagrante em prisão preventiva foi apresentado pelo promotor Guilherme Cintra Deleuse e acatado pelo juiz plantonista  Carlos Roberto de Sousa Dutra. (Flávio Herculano)

Comentários do Facebook