A Polícia Civil do Tocantins, por intermédio da 103ª Delegacia de Polícia Civil de Taguatinga, com apoio da 99ª DP, de Paranã, deflagrou na tarde da última quinta-feira, 13, a operação Resgate. Ação, coordenada pelo delegado-chefe da 103º DP, Lucas Rodrigues teve por objetivo dar cumprimento a mandado de busca e apreensão domiciliar em uma residência localizada na região central da cidade e que estaria sendo utilizada como ponto de venda de drogas.

Conforme apontaram as investigações, a propriedade pertence a uma mulher de 44 anos, que transformou a localidade em um ponto de venda de drogas e estabeleceu uma associação criminosa com vários suspeitos pela prática de delitos de Taguatinga e cidades da região, que passaram a residir na mesma localidade.

A mulher era chamada por todos de “TIA”, chefiava o comércio de drogas na localidade e utilizava sua residência como local de depósito de armas de fogo e vários objetos sem a comprovação de origem lícita.

Conforme explica o delegado Lucas: “Além do trabalho investigativo que já estava sendo realizado pelos agentes de polícia, familiares de alguns adolescentes procuraram a 103ª DP preocupados com o fato de menores estarem sendo atraídos para a localidade, onde eram estimulados ao uso e ao comércio de drogas, além da prática de delitos em vários bairros da cidade”.

Segundo apurado pela Polícia Civil, os adolescentes estão sendo investigados por possível envolvimento em crimes graves que ocorreram nos últimos meses, como o roubo e até um homicídio qualificado, ocorrido em Dezembro de 2021.

A autoridade policial frisa também que: “É preocupante o fato de menores estarem sendo atraídos à prática de crimes graves, sobretudo quando constatado que eles estavam deixando a residência dos pais para residir com a conhecida “TIA”, motivo pelo qual a Polícia Judiciária Civil representou pela realização de uma busca e apreensão na localidade, visando  colocar um fim nas condutas criminosas praticadas por aquele grupo e resgatar os menores desse ambiente criminoso, daí o nome da operação”.

Durante o cumprimento do mandado, foram apreendidas mais de 90 pedras de crack; aproximadamente 40 porções de maconha, grande quantidade de maconha prensada que era mantida, enterrada nos fundos da residência, um revólver calibre 32, munições de calibres diversos e vários objetos sem a comprovação de procedência lícita.

Duas mulheres, de 44 e 20 anos e um homem de 20 anos foram presos em flagrante por tráfico de drogas, associação para o tráfico, posse ilegal de arma de fogo e corrupção de menores, e ainda estão sendo investigados pela possível participação nos crimes de roubo e homicídio qualificado.

Um adolescente, de 14 anos que estava no local no momento da operação foi devidamente entregue aos seus responsáveis e terá sua participação nos crimes investigada em procedimento próprio.

Durante o cumprimento da medida judicial, os policiais civis também encontraram  na residência uma criança de aproximadamente dois anos em situação irregular, pois estava  desacompanhada dos pais ou qualquer outro familiar. A criança foi encaminhada ao Conselho Tutelar da cidade e sua situação também é alvo de investigação por parte da Polícia Civil.

Em razão da gravidade dos fatos ocorridos, o Poder Judiciário acolheu representação formulada pela Polícia Civil e converteu as prisões em flagrante dos envolvidos em prisões preventivas. Os envolvidos permanecem à disposição da Justiça e as investigações continuam, e tem por objetivo elucidar todos os crimes praticados pelo grupo criminoso e os demais integrantes da associação.

Comentários do Facebook