A Polícia Civil prendeu cinco funcionários públicos do Tocantins durante a operação Fim de Feira, realizada na madrugada desta segunda-feira (7). Entre os presos, estão um ex-diretor administrativo da Assembleia Legislativa e quatro servidores do Departamento de Estradas e Rodagens do Estado do Tocantins (Dertins), da unidade de Paraíso do Tocantins.

A Assembleia Legislativa informou que após tomar conhecimento da prisão do funcionário da casa nesta segunda, ele foi exonerado. Ele ocupava o cargo de diretor administrativo desde 1º de fevereiro deste ano.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, 23 pessoas foram indiciadas, sendo que 16 são funcionários do Dertins. Os cinco que foram presos são considerados os líderes da organização suspeita de corrupção passiva, peculato furto, peculato apropriação, peculato desvio, falsificação de documentos públicos, falsidade ideológica e participação em organização criminosa, conforme a SSP.

Os crimes foram praticados no período de 2013 a 2014. Na época, o ex-diretor da AL que foi preso era coordenador da unidade do Dertins – antiga Agetrans – em Paraíso do Tocantins. Ele e outros funcionários teriam cometidos vários crimes, como vendas de peças de máquinas públicas, furto de combustíveis e locação de máquinas para obras particulares. O dinheiro era reembolsado.

O número de indiciados faz parte de dados parciais e que outros podem ser presos até o fim desta segunda-feira. A polícia investiga a participação de outros servidores. Os cinco presos foram levados para a Casa de Prisão Provisória de Paraíso do Tocantins.(G1)

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.