A Polícia Federal cumpre na manhã desta terça-feira, 7, mandados judiciais para desarticular máfia da saúde no Tocantins. Foram decretadas 12 prisões temporárias e 41 conduções coercitivas, inclusive de profissionais de saúde envolvidos com ilícitos. A Justiça Federal também expediu 84 mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados, nas Secretarias de Saúde e de Administração do Estado e em diversas empresas do Tocantins e de mais nove estados.

A pedido do Ministério Público Federal – MPF, foi decretada a prisão temporária de um ex-secretário de Saúde do Tocantins, além da condução coercitiva de outro ex-secretário estadual de Saúde e de empresário que já ocupou o cargo de secretário municipal de Saúde de Palmas.

Também atendendo a pedido do MPF, a Justiça Federal determinou a condução coercitiva de parente de agente político do Estado do Tocantins em razão da suspeita de tráfico de influência. Em face de tal indivíduo também foi aplicada a medida de proibição de ter acesso a qualquer órgão público do poder executivo do Estado, sob pena de decretação da prisão preventiva.

A operação é fruto de investigação iniciada com a colaboração premiada de dois indivíduos processados pelo MPF em 2016 em razão de fraude em etiquetas de validade de materiais cirúrgicos.

Os mandados estão sendo cumpridos no Tocantins, Distrito Federal, São Paulo, Goiás, Paraná, Bahia, Ceará, Pará, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. A fim de não atrapalhar o cumprimento exitoso dos mandados judiciais, informações mais detalhadas serão oportunamente divulgadas.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.