Só este ano foram registrados em Araguaína, norte do Tocantins, 436 acidentes envolvendo motociclistas. O levantamento foi feito pela Agência Municipal de Segurança Transporte e Trânsito. O uso do capacete é obrigatório, mas mesmo assim, muitas pessoas não usam o acessório corretamente.

A cinta jugular, trava que segura o capacete, é ignorada por muitos motociclistas. Mas sem ela, os acidentes podem se tornar ainda mais graves. “O motociclista esquece que o capacete deve estar sempre travado, com a cinta jugular, para que eventualmente em um acidente, ele não venha sair e deixar de fazer o seu papel, que é a proteção do crânio”, explica o superintendente da Agência de Trânsito de Araguaína, Sheldon Sá.

Além de ser perigoso, o uso incorreto do capacete pode trazer prejuízos para o bolso. A multa para esse tipo de infração é de R$ 293, 47. O condutor também perde sete pontos na carteira e não vale deixar a cinta folgada. “Se ela estiver folgada, num eventual acidente, o capacete pode tentar sair e aquela folga permite essa saída parcial do capacete, pode estrangular o motociclista”, explicou o superintendente.

O conselheiro tutelar Fernando de Jesus quase teve sérias complicações por causa do mau uso do capacete. “Tive uma colisão, duas motos bateram e eu estava em uma delas. Automaticamente, eu fui arremessado e a primeira coisa que voou foi o capacete. Tive que usar os braços para proteger o rosto porque a gente entende que a nossa cabeça é um dos órgãos mais sensíveis. A orientação é colocar antes e fechar antes porque é mais seguro”, recomendou. (G1)

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.