A Justiça aceitou o pedido da Defensoria Pública para paralisar a derrubada de casas localizados na região da Feirinha, em Araguaína, a decisão foi proferida na noite desta terça-feira, 27, caso a prefeitura descumpra a decisão terá que pagar multa diária de R$ 5.000,00 (cinco mil).

O secretário de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura, Júnior Marzola, que está cumprindo as ordens do Prefeito Ronaldo Dimas (PR), para demolir as casas, disse que haverá uma audiência nesta quarta-feira, 28, para discutir o assunto. O que a população do local se pergunta é porque só agora, depois de muita destruição, é que a prefeitura que dialogar sobre o caso.

“As 14h vamos fazer uma audiência, conforme o cronograma de ações que nós já tínhamos para oferecer para os diversos grupos e gente que estava lá, as formas de indenização ou não, levando em consideração que os imóveis que tinham sido condenados pela defesa civil, todos foram desmanchados. Lá ficaram mais de 30 imóveis que não são foco desse tipo de ação, que foi executado ontem.” Disse Marzola.

“Temos nossas estratégias necessárias para a segurança dos nossos funcionários. Não podíamos e não deviamos, mexendo com o público que nós estávamos mexendo. São pessoas que a gente desconhece as reações e sabe que é gente ligada ao tráfico de drogas. Não podemos sair alardeando em se tratando daquele tipo de ação. Então, infelizmente, nós temos que ter estratégia para a defesa do nosso trabalhador”, afirma.

Ainda de acordo com o secretário a Defensoria não foi avisada da ação por causa de uma falha de comunicação da prefeitura de Araguaína.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.