Comunidade local acompanhou o julgamento

Em julgamento que durou mais de 18 horas, o Ministério Público Estadual (MPE) obteve sentença favorável à condenação de Juscemário Alves de Sousa, vulgo “Pedro”, José Domingos dos Reis, vulgo “Dominguinhos” e Erivan Cerqueira dos Santos pelo assassinato do produtor rural Tibúrcio Alves da Silva. O crime ocorreu em março de 2016, quando os três acusados sequestraram, executaram a vítima e enterraram o cadáver em uma área da zona rural do município de Dianópolis.

O Promotor de Justiça Luiz Francisco de Oliveira, que defendeu as teses de acusação, conta que o assassinato de Tibúrcio Alves teve grande repercussão na imprensa local. “Apesar do longo julgamento, a comunidade de Dianópolis se fez presente. Um crime que chocou a sociedade e que teve como motivação uma disputa de terras”, relata o Promotor de Justiça.

Somadas as penas, os acusados foram condenados a 44 anos de prisão pelos crimes previstos nos artigos 121 e 211 do Código Penal Brasileiro (assassinato e ocultação de cadáver). Os acusados responderam todo o processo encarcerados, já que o modo como praticaram o delito indicava personalidade agressiva. O Ministério Público recorrerá da decisão solicitando aumento da pena.

Consta nos autos do processo que Juscemário morava perto da residência da vítima, com quem tinha contínuas desavenças em função de disputa de uma terra. No ano passado, Tibúrcio venceu uma ação judicial requerendo a posse de uma área de aproximadamente 95 hectares, ocupada irregularmente por Juscemário.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.