Disponibilizar WI-FI aos clientes é uma atividade bastante comum na maioria das empresas, enquanto a solução pode ser útil para permitir o acesso a notícias e compartilhar momentos com amigos e familiares, a rede também pode oferecer riscos a essas instituições.

Segundo dados atuais de um levantamento feito pela corretora de seguros Marsh, o Brasil é o segundo país que mais perdeu dinheiro com ataques cibernéticos e até 2019, o prejuízo pode atingir US$ 2,1 trilhões.

Para o gerente de TI da Sim Internet, Danilo Silva, o estabelecimento que queira liberar internet para o público pode fazê-lo desde que tenham alguns cuidados. “De acordo com a lei Marco Civil, que regula o uso da Internet no Brasil, é importante às empresas possuírem sistemas que consigam cadastrar e ter o login de acesso dos clientes. Assim, os dados do usuário ficam registrados no caso da empresa precisar deles para provar que não é responsável por alguma violação da lei”, explicou.

O gerente esclarece ainda que outra vantagem de se ter esse sistema é a facilidade de disponibilizar o histórico das conexões. “É possível saber quem está conectado à sua WiFi, quando e por quanto tempo. Outra vantagem é a disponibilidade do histórico de conexões de um cliente e o que ele acessou”, completou.

Comentários do Facebook