Apple

A Xiaomi ultrapassou a Apple no cenário global e se tornou a segunda maior fabricante de celulares do mundo. A gigante chinesa já havia ultrapassado a rival californiana no mercado europeu há alguns meses e, agora, expandiu seu feito para todos os cantos do planeta. Essa é a primeira vez que a companhia está à frente da empresa chefiada por Tim Cook, que cai para o terceiro lugar.

Os dados foram fornecidos pela empresa de consultoria de mercado Canalys — a mesma que divulgou, em maio, a superioridade da marca em relação à Apple na Europa — e representam os números válidos para o segundo trimestre desse ano. De acordo com os analistas da companhia, a Xiaomi agora fica atrás apenas da Samsung.

Ainda de acordo com a Canalys, o top-5 das maiores fabricantes de celulares do mundo é finalizado pelas chinesas Oppo e Vivo, que não mudaram de posição e ainda ocupam a quarta e quinta posição, respectivamente. É importante destacar que as duas empresas não são apenas conterrâneas, mas também fazem parte do mesmo conglomerado — o Grupo BBK, que possui outras fabricantes de smartphones, como a Realme e a OnePlus.

Crescimento das empresas durante o período

Se mergulharmos nos dados fornecidos pela Canalys, podemos notar que um dos motivos para a Xiaomi ultrapassar a Apple foi a diferença no crescimento das duas durante o período. A norte-americana teve um aumento de apenas 1% nos últimos três meses e fechou o trimestre com uma participação de 14% no mercado. Já a rival cresceu 83% e agora detém 17% da fatia entre as maiores fabricantes de celulares no mundo.

Outra possível explicação é o declínio da Huawei. A fabricante permaneceu por muito tempo no segundo posto, em disputa constante com a Samsung e, algumas vezes, até figurou no como líder no mercado. Agora, porém, após um longo período de restrições comerciais devido ao conflito com o governo dos Estados Unidos, a marca já não está nem entre os cinco maiores do mundo.

É importante frisar, porém, que esses resultados são baseados na análise apenas da Canalys e, portanto, outras empresas de consultoria podem divulgar números diferentes que, consequentemente, podem levar a Xiaomi de volta ao terceiro lugar. Com isso, somente nos próximos períodos poderemos ver se a chinesa manterá o crescimento e confirmar a posição acima da fabricante dos iPhones.

https://terrabrasilnoticias.com/

Comentários do Facebook