Inquérito

A Polícia Civil do Estado do Tocantins, por intermédio da 33ª Delegacia de Polícia de Nova Olinda, concluiu nesta quarta-feira, 22, as investigações referentes à prática dos crimes de estupro de vulnerável e porte ilegal de arma de fogo praticados, em tese, por um indivíduo de 31 anos de idade, o qual é ex-padrasto da vítima, uma criança de apenas 10 anos.

Segundo apurado durante as investigações da Polícia Civil, a mãe da vítima tem um filho em comum com o autor. Ele se aproveitava da ausência dela para ir encontrar o filho de três anos de idade e praticar os abusos contra a vítima.

Conforme apurado, ele teria praticado ato libidinoso com a vítima e tocado em suas pernas, o que, segundo a vítima, teria ocorrido diversas outras vezes. Com o investigado foi encontrada uma espingarda calibre ponto 28 e munições.

O delegado Luís Gonzaga da Silva Neto, titular da 33ª DP e responsável pelo caso, concluiu o inquérito, e indiciou o investigado nos crimes de estupro de vulnerável e porte ilegal de arma de fogo, cujas penas, se somadas, poderão chegar ao patamar de 20 anos de prisão.

Em virtude do fato de não ter sido preso em flagrante delito, o homem investigado responderá em liberdade, conforme determina a legislação penal vigente. O caso fora enviado ao Poder Judiciário para as medidas cabíveis.

Comentários do Facebook