A 23ª edição da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, que iniciou na quarta-feira, 14, em Palmas, teve continuidade durante todo sábado, 17. A ação imunizou ontem 844 pessoas do público alvo, ou seja, crianças com seis meses e menores de 6 anos (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas, povos indígenas e trabalhadores da saúde. Poderão tomar o imunizante os grupos prioritários definidos pelo Plano Nacional de Imunização (confira abaixo).

A Secretaria Municipal da Saúde (Semus) de Palmas informa que as doses continuarão disponíveis, no decorrer da semana, para vacinação contra a Influenza em todas as Unidades de Saúde da Família (USFs) que não tenham atendimentos exclusivos para a Covid-19, as chamadas unidades sentinelas. Não terão imunização as USFs da Arno 61 (503 Norte), Eugênio Pinheiro, no Jardim Aureny I, Arne 53 (406 Norte), ASR-SE 75 (712 Sul), Arse 131 (1304 Sul) e José Lúcio, no Lago Sul. Na USF do Jardim Taquari e Walter Pereira Morato, em Taquaruçu, as doses serão aplicadas normalmente.

Prioridades

Conforme o Plano Nacional de Imunizações (PNI), os grupos prioritários a serem vacinados estão distribuídos em três etapas, sendo:

Primeira etapa (14 de abril a 10 de maio): crianças com seis meses e menores de 6 anos (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas, povos indígenas e trabalhadores da saúde.

Segunda etapa (11 de maio a 8 de junho): idosos com 60 anos ou mais e professores das escolas públicas e privadas.

Terceira etapa (9 de junho a 9 de julho): pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais (comorbidades); pessoas com deficiência permanente; caminhoneiros; trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso; trabalhadores portuários; forças de segurança e salvamento; forças armadas; funcionários do sistema de privação de liberdade; população privada de liberdade; e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas.

Prazo

A Semus ainda orienta aos pacientes que estão nos grupos prioritários para as vacinações de influenza e do novo coronavírus, que é preciso ocorrer o intervalo de 14 dias entre a aplicação de uma vacina e outra.

Considerando que as duas ações de vacinação estão acontecendo simultaneamente na Capital, a diretora de Vigilância em Saúde da Semus, Marta Malheiros, ressalta que Ministério da Saúde faz também a orientação que seja priorizada a administração da vacina da Covid-19 e se a primeira ou segunda dose já estiver marcada para os próximos dias, o paciente deve respeitar o intervalo de 14 dias para que assim possa tomar a vacina contra a influenza. “É importante a população ficar atenta a todas as anotações em sua caderneta de vacina, porque não se deve misturar as duas doses, ou seja, o imunizante contra o novo coronavírus e o da influenza. A Semus recomenda que a pessoa leve o seu cartão de vacinação para a avaliação da equipe da unidade de saúde”, explica a diretora.

Marta Malheiros ainda enfatiza que se o paciente tiver tomado primeiramente a vacina contra a Influenza, o mesmo prazo de 14 dias deve ser cumprido para que ele possa receber a dose contra a Covid-19. “As pessoas podem tomar as duas vacinas, mas não ao mesmo tempo”, enfatiza.

Público

Antônio Jorge, de apenas 1 aninho de idade, é uma das crianças que recebeu o imunizante no sábado. “Acredito que ele estará bem mais protegido. Fico feliz que ele esteja sendo vacinado e com certeza ele será uma criança bem mais saudável. A vacina vai fortalecer a imunidade do meu bebê”, afirma a mãe da criança, a psiquiatra Natacha Guimarães.

Comentários do Facebook