Foto: Divulgação

O chefe da Proteção Civil da Itália, Angelo Borrelli, anunciou a cura de mais de 2.500 contaminados pelo novo coronavírus em apenas um dia, recorde no país desde o agravamento da pandemia. O país mais castigado pela Covid-19 agora se vê mais otimista para sair da crise.

“Em 3 de abril tínhamos 4.068 pacientes nas UTIs, hoje temos um pouco mais de 2.800, um número inédito desde 20 de março”, afirmou Franco Locatelli, presidente do Conselho Superior da Saúde da Itália, à agência RFI. Segundo ele, “a pressão nos hospitais foi claramente aliviada” nos últimos dias.

O governo italiano adotou medidas extremas de confinamento em 9 de março. A Lombardia, região com 12 mil óbitos pela Covid-19, planeja abrandar o distanciamento social.

“Estamos nos preparando para reabrir em 4 de maio”, declarou Atilio Fontana, governador da Lombardia. O afrouxamento das medidas de isolamento, porém, encontra resistência. Vicenzo De Luca, governador da região de Campânia, no sudoeste, disse que se o “desconfinamento” for permitido à toda a população ele pode proibir a entrada de italianos do norte.

Na última sexta-feira (17), o governo italiano anunciou 575 mortos em 24 horas, totalizando 23 mil óbitos desde o início da epidemia. Mais de 65 mil testes realizados em um dia, um recorde, e apenas 5% acusaram positivo ao coronavírus. Para o presidente do Conselho Superior da Saúde, é resultado “da eficácia das medidas de confinamento tomadas para barrar o contágio”.

“Tudo isso nos ajuda a tomar consciência sobre o grande trabalho realizado nos hospitais e sobre a colaboração dos cidadãos”, reiterou Locatelli.

(Com Yahoo)

Comentários do Facebook