Aeronaves adequadas para o combate às queimadas e manutenção do Tocantins na Operação Verde Brasil 2, que visa combater crimes ambientais e focos de incêndio na Amazônia Legal. Essa foi a principal reivindicação do vice-governador do Estado do Tocantins, Wanderlei Barbosa, durante reunião realizada nesta terça-feira, 23, por videoconferência, com o presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal e vice-presidente da República, Hamilton Mourão, e com governadores da Amazônia Legal. A reunião tratou da continuidade das ações do Conselho com foco no Plano Amazônia 2021/2022.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O vice-governador tocantinense afirmou que as queimadas representam uma grande preocupação do Governo do Estado, mas graças a política adotada pela atual gestão, integrada com órgãos e instituições, foi possível reduzir significativamente esse fator na região. Wanderlei Barbosa fez menção à atuação integrada dos órgãos ambientais e de defesa civil do Tocantins, com as Forças Armadas, representadas por destacamentos do Exército e da Marinha, e com o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Segundo o vice-governador, o trabalho conjunto resultou na redução de 16% dos focos de calor por queimadas em 2020. Para ele, é necessário que haja antecipação da agenda de combate aos incêndios florestais no Tocantins, para que o Estado minimize a incidência de focos de calor em 2021. Queremos antecipar essa agenda. Que o Exército adiante para nós a agenda e que nos ajude mais cedo, para que possamos reduzir ainda mais esses índices, pontuou.

O vice-governador também destacou que o Tocantins conta com um bioma diferente, com predominância do Cerrado, que tem uma tendência muito grande para a queimada. O Tocantins é diferente nesse aspecto. O bioma amazônico representa apenas 11% do nosso território, o restante é Cerrado, que tem uma tendência muito grande para a queimada, principalmente em virtude do longo período de veraneio e sol muito forte, o que facilita a incidência dos incêndios, enfatizou, completando que são realizadas campanhas junto à população para conscientizar da necessidade de evitar qualquer tipo de queimada.

Wanderlei Barbosa ressaltou, ainda, que por orientação do Governo do Estado, os órgãos ambientais têm dedicado atenção especial sobre a questão do desmatamento ilegal, produzindo bons resultados no combate a esse crime ambiental. O governo do Tocantins leva a sério essa agenda ambiental e nos colocamos à disposição. Sabemos a preocupação de todos os governadores e do vice-presidente Mourão, que tem realizado um trabalho muito bom na região, frisou.

Por sua vez, o vice-presidente Hamilton Mourão destacou a atuação ambiental do Governo do Tocantins e informou que já está em curso uma cartilha com os pontos do programa Verde Brasil. O presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal considera que a execução de todas as ações previstas pelo programa, resultará em um grande avanço para combater as queimadas.

Verde Brasil

A Operação Verde Brasil 2 tem como objetivo combater crimes ambientais e focos de incêndio na Amazônia Legal. O combate às ilegalidades na região é uma das propostas imediatas do Conselho Nacional da Amazônia Legal, coordenado pelo vice-presidente Hamilton Mourão. A operação envolve diversos órgãos federais e foi planejada com base no Decreto Nº 10.341, de 6 de maio de 2020, assinado pelo Presidente Jair Bolsonaro, que autoriza o emprego das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO), com o objetivo de prevenir e reprimir delitos ambientais, bem como combater focos de incêndio.

Participaram da videoconferência governadores, vice-governadores e representantes dos nove estados que compõem a Amazônia Legal. O secretário-chefe do Gabinete do Governo do Tocantins, Sebastião Albuquerque, também acompanhou a reunião. (Jarbas Coutinho)

Comentários do Facebook