Podem concorrer ao prêmio, experiências como a do projeto Batuque da Escola Estadual de Cristalândia
Podem concorrer ao prêmio, experiências como a do projeto Batuque da Escola Estadual de Cristalândia
Podem concorrer ao prêmio, experiências como a do
projeto Batuque da Escola Estadual de Cristalândia

Professores e alunos que no ano passado desenvolveram projetos visando à promoção da igualdade racial nas escolas poderão participar do 7º Prêmio Educar para a Igualdade Racial e de Gênero, que está com inscrições abertas até o dia 31 de março. O concurso é uma realização do CEERT (Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades).

Poderão participar educadores e alunos nas categorias Professor e Escola, que realizaram boas práticas de gestão escolar, que contribuam para a implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Básica.

As inscrições poderão ser feitas pelo site www.ceert.org.br ou pelo Correios no endereço CECERT – Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades, Rua Duarte de Azevedo, 737, Santana, CEP: 02036-022, São Paulo, SP.

Nesta 7ª edição do prêmio, o tema é “experiências de promoção da igualdade em ambiente escolar”. O prêmio também traz dois processos de inscrição: um universal e outro afirmativo. O primeiro reconhece, valoriza e difunde práticas pedagógicas e a segunda, procura conhecer o fazer pedagógico por professores e gestores da Educação Escolar Quilombola.

De cada categoria, serão selecionados seis trabalhos, sendo dois para a Educação Infantil, dois do ensino fundamental e dois do ensino médio, e desses, três serão premiados, um de cada modalidade de ensino. O vencedor da categoria professor receberá R$ 5 mil, um notebook e um kit de livros sobre a temática. Já as escolas vencedoras, cada uma receberá o valor de R$ 10 mil, que será depositado na conta da Associação de Apoio à Escola, e mais um notebook e um kit de livros. Gestores e representantes das escolas escolhidas participarão de uma formação continuada organizada pelo CEERT e duas das escolas vencedoras terão seus projetos acompanhados por técnicos do CEERT por um período de 12 meses.

O prêmio conta com o apoio da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) e da Secadi (Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão) do Ministério da Educação.

Comentários do Facebook