Reduzir o número de verminoses, identificar casos suspeitos de hanseníases e de tracoma em estudantes. Esse é o objetivo da Prefeitura de Araguaína, por meio da Secretaria da Saúde, ao intensificar o combate a essas doenças na cidade, promovendo a “Campanha dos Três Bichos”. A campanha começa a partir desta sexta-feira, 28, e segue até o dia 20 de outubro, nas escolas municipais.

O público-alvo são crianças e jovens, na faixa etária dos 5 aos 14 anos, que estudam na Rede Municipal de Ensino; totalizando cerca de 11 mil estudantes. Também serão feitas orientações tanto para os estudantes como para os professores sobre essas doenças; além de mobilizar toda a comunidade.

Equipes da Vigilância Epidemiológica, do Centro de Controle de Zoonoses e da Superintendência de Atenção Básica participam da campanha.

Procedimentos

Para detectar os casos de hanseníase, será utilizado um formulário denominado Ficha de Autoimagem, onde os estudantes, junto com os pais ou responsáveis, respondem em casa os questionamentos da ficha e a devolvem para a escola. Será feito a triagem e os casos com lesões suspeitas de hanseníase serão encaminhadas à unidade de saúde para confirmação diagnóstica e tratamento.

Para o tracoma, os estudantes serão submetidos ao exame ocular externo realizado por profissionais capacitados, e os casos positivos e seus contatos domiciliares serão encaminhados para tratamento.

Também será realizada a terceira dose do tratamento para as verminoses, com a administração de Albendazol. Esse medicamento é eficaz, não tóxico, de baixo custo e já foi utilizado em milhões de indivíduos de diversos países, e seus efeitos colaterais são raros e sem gravidade.

A realização do tratamento preventivo em escolares está em conformidade com as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), que preconiza o uso da medicação de forma periódica como uma medida preventiva e efetiva para redução da carga parasitária e de suas complicações.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.