A professora aposentada Dilvânia da Rocha Cavalcante Passos, 64 anos, construiu com o marido uma grande família em Araguatins, no norte do Tocantins. O casal tinha três filhos biológicos e ela já havia feito cirurgia para não engravidar mais, quando adotou três filhos. Eles me adoraram. Nasceram para ser meus. Foi amor à primeira vista. Era como se eles falassem que tinham me escolhido para ser a mãe deles.

Marcos Cavalcante Passos, 30 anos, Ana Paula Cavalcante Passos, 26 anos, e Hugo Felipe Cavalcante Passos, 25 anos, foram adotados em datas diferentes. Dilvânia conta que apesar dos três filhos chegaram a ela por acaso, o sentimento maternal foi tão forte que voltou a ter sensações diferentes. Senti uma contração no meu útero, como se eu tivesse dando à luz de novo.

Hoje os filhos que ela diz não serem de coração, e sim de corpo inteiro são formados em Pedagogia, Enfermagem e Educação Física.

Ela destacou a importância da adoção. Eu tinha impressão de que faltava algo, mas agora está completa e somos uma família feliz. Eram seis filhos mesmo que eu tinha que ter e foi a coisa mais linda e emocionante da minha vida. Eles são a razão da minha vida, finalizou. (Com: G1)

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.