O ex-governador do Estado do Tocantins, José Wilson Siqueira Campos, enviou uma nota ao NT, na tarde desta terça-feira 12, onde fala sobre uma investigação do Ministério Público Federal que aponta um suposto desvio de verba pública na saúde do Tocantins no valor de R$ 4 bilhões.

 Dentre vários ex-gestores citados pelo MPF, está o nome do ex-governador.

Confira a íntegra da nota:

O ex-governador Siqueira Campos informa que prossegue absolutamente tranquilo e declara não ter participado e nem compactua com qualquer atividade que venha a lesar os cofres públicos.

Na condição de Governador, Siqueira Campos nunca foi gestor de secretaria, médico, administrador de compras ou ordenador de despesas. Os pagamentos efetuados cumpriram decisão de um processo que começa nos plantões, nas emergências e nos problemas graves que a justiça determina a compra de medicamentos. E não cabe ao Governador essa análise sobre cumprir ou não essas decisões.

Enquanto Governador, Siqueira Campos ocupou-se de decisões de Estado  como a construção do Hospital Geral de Palmas, do Hospital e Maternidade Dona Regina e de todos os hospitais regionais do interior do Estado.

Sempre que citado, o ex-governador Siqueira Campos faz questão de se pronunciar para mais uma vez ratificar sua posição de isenção e de não participação em qualquer ato que possa macular uma vida inteira dedicada ao Tocantins.

O ex-governador apoia toda e qualquer investigação e mantém sua posição de vida pública transparente, reiterando que suas fontes de renda seguem sendo suas duas aposentadorias, INSS e Câmara Federal, sendo que da última, dois terços são destinados ao pagamento de pensão à ex-primeira-dama Aureny Siqueira Campos.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.