Capital Palmas

Moradores de Palmas tomaram um susto ao acessar o boleto do Imposto Predial e Territorial Urbano de 2018. Em alguns casos, o aumento foi de 59,8%. A Prefeitura de Palmas nega que houve reajuste na alíquota do IPTU, mas explica que houve alteração em outros índices usados para calcular o imposto.

“Continuamos trabalhando com a mesma alíquota do ano passado e de outros anos anteriores. Nós não estamos mexemos na alíquota ou na porcentagem de cálculdo do imposto”, explicou o superintendente de Administração Tributária, Murilo Galhardo.

Segundo ele, a principal alteração foi com relação à diminuição dos redutores aplicados sobre o valor venal. Esses redutores dizem respeito à porcentagem do valor do imóvel que é utilizado para calcular o IPTU.

Atualmente, a área urbana da capital é dividida em cinco zonas e cada uma possui um redutor diferente. Até março de 2017, o percentual utilizado para calcular o IPTU variava entre 35% e 55% do valor do imóvel, dependendo da zona. Agora, esses índices subiram e em alguns casos podem chegar a 75%.

Porcentagem do valor venal utilizado no cálculo do IPTU

Até 2017 A partir de 2018
Zona I 55% 75%
Zona II 50% 65%
Zona III 45% 55%
Zona IV 40% 45%
Zona V

35%

35%

Fonte: Prefeitura de Palmas

Na prática, um imóvel que custa R$ 100 mil e está na zona I, a mais valorizada, terá o imposto calculado em cima de R$ 75 mil, ou seja, 75% do valor venal do imóvel. (G1)

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.