Um motorista de transporte por aplicativo se recusou a transportar uma passageira na tarde do último sábado, 7, em Belém/PA. A alegação: a moça era petista. A situação foi relatada pela cliente e viralizou nas redes sociais. Desde então, a jovem conta estar recendo diversas mensagens de ódio.

A passageira Amanda Lorêdo, 24 anos, trabalha como assessora legislativa da vereadora Lívia Duarte, do PSol. Ela conta que tinha ido a um ato da pré-candidatura de Lula na sede do Diretório Estadual do PT Pará.

Em seguida, foi para o bairro da Cidade Velha, almoçar com amigos. De lá, ela pediu a corrida pelo Uber, por volta de 16h. O motorista chegou ao local solicitado, mas passou direto.

Amanda vestia uma camiseta vermelha lisa e um short jeans, mas alega que estava ao lado de amigos com acessórios de símbolos do PT. “O motorista enviou a mensagem dizendo que não levava petistas. Eu pedi, então, que ele cancelasse a corrida, já que não iria me levar. Temendo que acontecesse algo mais grave, fui de carona para casa”, relata.

O caso foi reportado ao aplicativo Uber, que respondeu a denúncia de Amanda dizendo que “lamenta a falta de cordialidade” por parte do motorista, e que o aplicativo irá “tomar as medidas necessárias para que isso não volte a acontecer”.

Comentários do Facebook