Deputado Eduardo Siqueira Campos (PTB)
Deputado Eduardo Siqueira Campos (PTB)

O deputado Eduardo Siqueira Campos (PTB) voltou a utilizar a tribuna da Assembleia Legislativa, nesta quinta-feira, 10, para questionar os tamanhos das máquinas administrativas do Governo do Estado e do Governo Federal, e ainda, a intenção das duas administrações em aumentar mais impostos. No caso do Governo Estadual, o IPVA e o ICMS. Já na esfera federal, o divulgado seria a volta da CPMF e o aumento do Imposto de Renda Pessoa Física.

Eduardo Siqueira pediu que o Parlamento dê total atenção às matérias quando forem encaminhadas ao Legislativo Estadual, para que o cidadão não seja ainda mais penalizado. Eduardo propôs um debate amplo sobre a estrutura da administração e que os deputados questionem o custo de cada órgão do Governo, e ainda, os motivos para que cada Secretaria tenha sua estrutura  mantida ou não. O deputado indagou a existência de algumas pastas criadas no passado, mas que atualmente não desenvolvem políticas públicas diretas ao cidadão. “O dinheiro todo é gasto na atividade meio. E uma pasta como esta não faz mais sentido de existir”, afirmou.

Eduardo Siqueira defende essa análise pela Assembleia, para que o Parlamento proponha ao Governo a redução de gastos, antes que a Casa aprove qualquer tipo de aumento de impostos. “É preciso que se faça redução de secretarias, extinção de pastas, redução de despesas públicas, para que o cidadão não tenha que suportar ainda mais carga tributária”, frisou.

O Parlamentar destacou a reação dos líderes nacionais do PMDB à possibilidade de proposta do Governo Federal em recriar a CPMF e aumentar  o Imposto de Renda. Mesmo com a sigla pertencendo à base do Governo, mas neste momento preferiu defender a população. Em nível estadual, Eduardo Siqueira propôs que se faça o mesmo. “Só haverá aumento de impostos se a Assembleia Legislativa permitir”, argumentou.(Ascom)

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.