O Ministério Público Federal no Tocantins (MPF/TO) conseguiu garantir a participação da Fundação Nacional do Índio (Funai) e da comunidade indígena nos processos de licenciamento ambiental no entorno da Terra Indígena Apinajé, no norte do Tocantins. A decisão da Justiça Federal, publicada no fim de março, determina que o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), se abstenha de emitir novas licenças ambientais para as propriedades localizadas a 10 km do entorno das terras dos Apinajés.

O MPF também conseguiu a suspensão do plantio de eucaliptos nas fazendas Góis I e Góis II, que fazem divisa com o território dos Apinajés. O uso produtivo dessa terra já vinha sendo questionado pelos indígenas desde 2014, quando o Naturatins concedeu licença para o desmatamento de aproximadamente 140 ha, com objetivo de formação de pastagens.

Uma denúncia feita pelos Apinajés e formalizada pela Funai, informou que o verdadeiro objetivo dos proprietários das fazendas Góis, Eloísio Flávio de Andrade e Zora de Andrade Paiva, era o de plantio de eucaliptos. Verificando a prática de atividade diferente da autorizada, o Naturatins suspendeu as licenças e lavrou auto de infração e termos de embargo contra os proprietários.

Mesmo com o embargo, os Apinajés e a Funai novamente denunciaram que, no início de 2016, as atividades de implantação do projeto de silvicultura para o plantio de eucaliptos estariam sendo retomadas. Para o procurador da República Felipe Torres Vasconcelos, essa atividade, notadamente geradora de maior impacto ambiental, pode afetar de maneira irreparável a comunidade indígena.

Segundo o procurador, a decisão da Justiça Federal contribui para o controle social das atividades produtivas nas áreas do entorno, ampliando a proteção da Terra Indígena Apinajé. “Com a decisão, tanto a Funai como a comunidade indígena poderão se manifestar sobre pedidos de licença ambiental, cuja atividade possa causar danos ambientais que ponham em risco o modo de vida dos Apinajés”, enfatizou.

Tribo Apinajés

A tribo Apinajé habita as terras localizadas entre a mergem esquerda do Rio Tocantins e a margem direita do rio Araguaia, no norte do Tocantins, região conhecida como Bico do Papagaio.

Os Apinajé ocupam uma área de aproximadamente 140.000 (cento e quarenta mil) hectares de terras demarcadas e homologadas, em sua maioria no município de Tocantinópolis, mas também em Maurilândia do Tocantins, Nazaré, Itaguatins e São Bento.

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.