Miller Freitas/Assessoria Acipa

A redução e isenção de impostos foram tema do Café com Empresários desta sexta-feira, 1º, realizado na Churrascaria e Pizzaria Continental, na quadra 1.103 Sul, em Palmas. Esta edição contou com a presença institucional do vice-governador, Wanderlei Barbosa.

Para o presidente da Associação Comercial e Industrial de Palmas (Acipa), Joseph Madeira, a participação do Vice-Governador foi oportuna, uma vez que a Acipa está debatendo com o governo, Assembleia Legislativa, e demais órgãos ligados à tributação, o fim da complementação de alíquota do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) das empresas. “Como temos à frente do governo, o governador Mauro Carlesse, que é um empreendedor, um empresário que conhece nossas necessidades, entendemos ser o momento oportuno de conseguirmos esta grande conquista para a classe empresarial e para a sociedade”, afirmou Joseph Madeira.

O presidente da Acipa ressaltou ainda que cabe aos empresários a transformação de vidas das pessoas em uma sociedade, seja promovendo a oportunidade através do emprego, seja atraindo serviços e produtos onde se instala uma empresa. Por isso, a necessidade de uma atenção especial aos anseios da classe.

Wanderlei Barbosa ressaltou a relevância da ação Café com Empresários na aproximação entre empresariado e instituições. Disse que acredita que o governador Mauro Carlesse está sensível às causas da classe, uma vez que ele mesmo é empresário e, conforme exemplo de outros países, o desenvolvimento de uma nação está aliado a cargas tributárias justas. “Muito importante esse encontro para conhecermos a história dos empresários locais. Quanto aos impostos, o governo pode ajudar. Não faremos renúncias fiscais, mas podemos fazer adequações”, ponderou.

Exemplo dessa visão macro do empreendedor, foi revelada pelo anfitrião do café desta sexta, o empresário Wallisson Júnior de Freitas, dono do Grupo Continental – Supermercado, Churrascaria e Pizzaria, que pediu a instalação de uma lotérica e uma agência bancária na região. “Já somos muitos empresários aqui nesta avenida que, em breve, será mais importante que a Avenida Tocantins, em Taquaralto, por isso já temos uma procura por esses serviços”, afirmou.

O diretor de Parcerias e Negócios da Acipa, Wereque Trajano, explicou que o ICMS complementação de alíquota, faz com que o empresário pague duas vezes o imposto, já que traz mercadoria de fora, principalmente do Sudeste. ”Do que vem, 11% o empresário paga na entrada da mercadoria no Tocantins e quando o microempreendedor vende ele paga novamente, ou seja, pagamos duas vezes”, alertou. Segundo ele, se não for tomada uma providência, em 2021 esse imposto chegará a 700%. “E não há condições de pagar essa alíquota”, desabafou. (Elisangela Silva/Ascom Vice-governadoria/ Colaborou Assessoria Acipa)

Miller Freitas/Assessoria Acipa

 

Compartilhar

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: jornalismo@nortedotocantins.com.br que iremos analisar.