Deputado Ricardo Ayres
Deputado Ricardo Ayres

Em sessão solene para entrega da Comenda “Ordem do Mérito do Legislativo” e para celebrar os 30 anos do Tocantins, o deputado estadual Ricardo Ayres (PSB) fez um discurso onde chamou a atenção dos poderes estaduais, inclusive da própria Casa de Leis do Tocantins. Ayres também propôs a criação de movimento para resgatar o desenvolvimento do Estado. “Precisamos unir forças em um pacto republicano, suprapartidário, de que todos possam participar: membros dos poderes, líderes religiosos, classistas, intelectuais, estudantes e o povo em geral”.

Com dados que mostravam o crescimento populacional, social e econômico do Estado, Ayres pontou que é preciso fazer uma análise qualitativa destes dados. Segundo ele, o desenvolvimento precisa ser integral e alcançar todo o Estado. “Temos que refletir se o conjunto da sociedade usufrui da integralidade desta conquista e das liberdades substantivas que nós aqui do centro da Capital desfrutamos. Nossa Renda Per Capita ainda é de R$ 937 para cada morador, enquanto o salário mínimo está em R$ 954, e a média nacional é de R$ 1.268”, questionou.

O parlamentar cobrou que o Tocantins deixe de ser um estado de potencialidades e feito para o futuro. Para ele, a falta de planejamento e a instabilidade política são alguns dos fatores que afugentam investidores, emperram o desenvolvimento local e sucumbem as políticas sociais. “A falta histórica e contumaz de planejamento na gestão, a prevalência do clientelismo partidário e a corrupção promoveram a diminuição, desonesta para com a população, da capacidade de investimento em políticas sociais e na infraestrutura”, disse.

Privilégios dos poderes

De forma pontual, Ayres destacou que foram muitas lutas para conquistar a afirmação e independência dos poderes e instituições, mas que estas hoje, cada vez mais empoderadas, vem se afastando de seus deveres principais com o cidadão tocantinense, criticando a própria Assembleia Legislativa também.  “Percebemos que essas mesmas instituições, com a inanição do Executivo, tem afugentado a cidadania tocantinense com orçamentos cada vez irreais e incondizentes com nossa realidade, tirando do povo para alimentar o seu próprio corporativismo, favoritismo e muitos privilégios, alguns dos quais existentes também nesse parlamento”.

Ainda segundo ele, na mesma medida que órgãos inflam exponencialmente seus orçamentos, vão deixando de lado os destinatários das políticas públicas, principalmente aqueles que não tem acesso aos direitos mais básicos, sofrem e acabam por padecer pela falta de atendimento e oportunidades.

Movimento suprapartidário

Ao encerrar sua fala, Ricardo Ayres conclamou para que todos seu unissem em um pacto suprapartidário para conduzir um debate sincero e realista, com todos agentes que possam operar esta transformação necessária e imprescindível no Tocantins. “Precisamos rememorar a luta de emancipação política, a dedicação de muitos que escreveram os fundamentos econômicos do Tocantins, em grande obras literárias, para que possamos reviver, através da UFT, UNITINS, Faculdades particulares, a CONORTE e os seus ideais, reformulado o Tocantins”, concluiu.

Comentários do Facebook