Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O vaqueiro Carlos Alberto da Silva, um dos homens que ajudou a combater a queimada que devastou oito fazendas e matou mais de mil animais em Carmolândia, morreu nesta quarta-feira, 27. Ele estava internado em estado grave no Hospital Regional de Araguaína.

Segundo a Secretaria do Estado da Saúde (Sesau), o Serviço de Regulação Estadual chegou a conseguir vaga para transferência do paciente na última segunda-feira (25), mas por causa da piora significativa no quadro clínico, ele não pôde ser transferido.

O homem sofreu queimaduras em 65% do corpo. O proprietário da fazenda onde ele trabalha informou que Carlos tentava apagar um foco de incêndio quando foi atingido pelas chamas.

O mês de setembro já é o pior em sete anos em número de queimadas, foram mais de 10 mil focos de fogo. Áreas ambientais também estão ameaçadas e mais de 70% do Parque Nacional do Araguaia foi destruído. Os brigadistas desistiram de combater o fogo na região, que já consumiu uma área quase três vezes o tamanho da cidade de São Paulo.

No dia 19, o Ibama anunciou que está assumindo custos do combate ao fogo no Tocantins e que vai investir R$ 4 milhões no trabalho dentro do estado. A medida só foi tomada depois que a queimada já tinha destruído metade do parque e quase no fim do período de seca, que deve terminar em outubro.(G1/TO)

Comentários do Facebook