Justiça
Justiça

Após extenso julgamento, o lavrador Nixon Brito foi condenado a mais de 19 anos de reclusão em regime fechado (após a confirmação do julgamento em 2º grau) pelo assassinato do estudante Atalíbio Pereira de Abreu, 22 anos, e pela tentativa de homicídio de Alexandre Ribeiro de Carvalho e Divino Silva Pereira.

O Ministério Público Estadual (MPE) denunciou Nixon em Abril de 2013. Na época, as investigações apontaram que, na madrugada do dia 3 março daquele ano, Nixon e a esposa, Arlete Lírio Francisco, estavam em um bar quando iniciaram uma briga com Alexandre, que estaria se encostando em Arlete.

A vítima, Atalíbio, teria entrado na confusão para retirar o amigo da briga. Após o ocorrido, os três jovens (Atalíbio, Alexandre e Divino Silva Pereira) deixaram o bar e, logo em seguida, o casal os perseguiu com um veículo, atropelando Alexandre e Divino. Atalíbio conseguiu desviar do carro, mas foi morto logo depois com um golpe de faca no coração desferido por Nixon.

Comentários do Facebook