Gurupi Tocantins

O risco de colapso da rede pública de atendimento à saúde em Gurupi levou o Ministério Público do Tocantins (MPTO) a expedir, nesta terça-feira, 21, uma recomendação para que a Prefeitura da cidade edite um novo decreto municipal com medidas que intensifiquem o isolamento social. A Promotoria de Justiça de Gurupi indica a adoção de medidas típicas do bloqueio total (lockdown) de atividades não essenciais e do fluxo de pessoas até que a estabilização ou diminuição de casos ativos de Covid-19 sinalizem o retorno gradual das atividades que deverão ser paralisadas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O número de pessoas com a Covid-19 cresce a cada dia no Tocantins e Gurupi tem figurado com frequência entre as cidades mais afetadas pela disseminação descontrolada do coronavírus. Já são 18.354 casos confirmados, segundo o Boletim Epidemiológico do Governo do Tocantins publicado nesta terça-feira, 21, dos quais 614 foram diagnosticados em Gurupi, o que leva a cidade ao quarto lugar entre as mais atingidas pela pandemia no Estado.

Para o promotor de Justiça Marcelo Lima, a situação se agrava em razão da reduzida capacidade da rede pública de saúde de atender os pacientes mais urgentes. “Durante vários dias da última semana, a taxa de ocupação de leitos UTI Covid-19 do Hospital Regional de Gurupi foi de 100%. Agora está em 80%, o que ainda é preocupante, considerando que os casos crescem vertiginosamente a cada dia”, pontuou.

Aumento de casos

O Hospital Regional de Gurupi (HRG) é uma unidade de saúde de referência para 18 municípios da região e atende uma população total de mais de 198 mil pessoas. Dos oito pacientes que se encontram internados nos leitos de UTI Covid-19 do hospital, quatro são da própria cidade, o que indica que o aumento de diagnósticos positivos da doença pode realmente provocar um colapso na rede pública de Saúde de Gurupi.

Um levantamento da Promotoria de Justiça de Gurupi, com base nos dados oficiais divulgados pelo Governo do Estado, demonstrou aumento de mais de 100% das confirmações de Covid-19 em Gurupi de 1º a 20 de julho. Além disso, já são sete óbitos em decorrência da doença.

O promotor Marcelo Lima observa que a tendência de crescimento dos casos de Covid-19 contrasta com o comportamento das pessoas nas ruas. “Existe um sentimento de falsa normalidade, que é comprovado pela aglomeração de pessoas nas calçadas, praças, bares, bancos e demais estabelecimentos comerciais, além de muitos que se deslocam para acampamentos na beira dos rios da região”, ressaltou.

Para ele, esse comportamento aumenta o risco de disseminação do novo coronavírus em Gurupi, produzindo impactos no sistema de saúde da cidade.

Medidas recomendadas

Caso a paralisação das atividades não essenciais não surta o efeito esperado, a Promotoria de Justiça de Gurupi recomendou que a gestão municipal avalie a necessidade de decretação de bloqueio total por 15 dias. Além disso, recomendou que a gestão adote medidas de fiscalização para garantir o cumprimento das normas restritivas; implemente ações educativas para reforçar junto à população a necessidade de evitar aglomerações; e faça advertências aos cidadãos de que o descumprimento das determinações pode gerar responsabilização criminal contra a saúde pública.

A recomendação foi dirigida ao Município de Gurupi, nas pessoas do prefeito municipal, Laurez Moreira, do secretário municipal de Saúde, Antônio Carlos Pakalolo, e do presidente do Comitê Gestor da Covid-19 da cidade. (Luiz Melchiades)

Comentários do Facebook