Casa de Prisão Provisória de Paraíso

Uma ação de combate à criminalidade realizada na tarde desta quinta-feira, 18, por policiais civis da 6ª Divisão Especializada de Combate ao Crime Organizado (6ª DEIC, de Paraíso do Tocantins), resultou na prisão de um homem de 32 anos de idade por suspeita de ter praticado um crime de estupro na cidade de Carolina, Estado do Maranhão, no ano de 2018.

Conforme o delegado Hismael Tranqueira, titular da 6ª DEIC e responsável pelo caso, os policiais civis da unidade especializada obtiveram informações de que um indivíduo suspeito pela prática de um crime de estupro no estado vizinho estaria residindo na cidade de Paraíso do Tocantins. Após troca de informações com a Polícia Civil do Estado do Maranhão, os policiais civis tocantinenses foram informados que havia um mandado de prisão preventiva decretado pela Justiça da Comarca de Carolina em desfavor do homem.

“De posse das informações, passamos a investigar e efetuar diligências no sentido de localizar o paradeiro do indivíduo, que foi encontrado nesta tarde em uma residência de Paraíso, onde foi preso e conduzido até a Central de Atendimento da Polícia Civil”, informou o delegado.

Ainda segundo a autoridade policial, em dezembro de 2018, o suspeito que era conhecido da vítima, transitava com seu veículo por uma das Avenidas de Carolina quando avistou a mulher e ofereceu carona a mesma, a qual aceitou por se tratar de um conhecido. No entanto, os planos do homem eram outros e, após levar a vítima para um local ermo na cidade de Carolina, abusou sexualmente da mulher e fugiu em seguida.

Contudo, no decorrer das investigações, a Polícia Civil reuniu indícios robustos que apontavam para o homem de 32 anos como sendo o autor do crime e por isso, o delegado representou pela prisão do mesmo, a qual foi deferida pelo juízo da Comarca de Carolina.

Ocorre que nesse meio tempo, o indivíduo, que já possui outras passagens pela polícia pelo mesmo tipo de crime, passou a ameaçar a vítima de morte e acabou fugindo para o Estado do Tocantins, mais precisamente para Paraíso onde constituiu família, passou a trabalhar em um lava-jato e levava uma vida aparentemente normal.

Depois de ser preso e após os procedimentos legais cabíveis, o homem foi recolhido a Casa de prisão Provisória de Paraíso do Tocantins, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário da Comarca de Carolina – MA.

Comentários do Facebook