Foi preso nesta quinta-feira, 30, o empresário acusado de vender 22 respiradores pulmonares falsos para Prefeitura de Rondonópolis no Mato Grosso. Ele foi preso na cidade quando tentava desbloquear R$ 3 milhões da conta bancária da empresa.

Diante da situação da pandemia do coronavírus, os respiradores foram comprados em processo de dispensa de licitação, de uma empresa com sede em Palmas – TO. No contrato ficou estabelecido que o pagamento seria após a entrega dos aparelhos, que ficou marcada para as datas de 16 e 17 de abril, na cidade de Goiânia-GO.

Acontece que o suspeito entregou monitores cardíacos, que adulterados, ficaram com aparência de respiradores pulmonares. Os monitores cardíacos foram adquiridos por R$ 10 mil. Ao todo a prefeitura de Rondonópolis gastou R$ 4,1 milhões.

A polícia de Mato Grosso esteve no endereço da empresa em Palmas mas ninguém foi encontrado. Nesta quinta-feira, 30, a polícia recebeu informações que o suspeito estava em Rondonópolis para tentar desbloquear o restante do dinheiro da conta, momento que foi preso e está à disposição da justiça.

Comentários do Facebook